NOVO GOVERNO
Dilma espera anunciar a nova equipe até quinta-feira
MULTINACIONAL INAUGURA FÁBRICA DE DRYWALL EM FEIRA DE SANTANA
INVESTIMENTO

MULTINACIONAL INAUGURA FÁBRICA DE DRYWALL EM FEIRA DE SANTANA
REGIÃO METROPOLITANA DE SALVADOR É 11ª EM RANKING DO IDHM
ÍNDICE

REGIÃO METROPOLITANA DE SALVADOR É 11ª EM RANKING DO IDHM
COLUNISTAS
ENQUETE

NA SUA OPINIÃO, QUAL O CARGO QUE O GOVERNADOR WAGNER DEVE ASSUMIR EM BRASÍLIA?

FRASE DO DIA

"O bairro está recebendo uma estrutura capaz de receber jogos e eventos de grande porte, mas o nosso foco é o incentivo ao esporte, é dar estímulo a essa juventude que agora tem um lugar de excelência para a prática de esportes. Isso muda a vida e a dinâmica dessa comunidade, e é essa a nossa intenção".

Governador Jaques Wagner ao inaugurar Ginásio de Cajazeiras


OUTRAS NOTÍCIAS
25/11 - 19h12m


A partir de hoje, dia 25, a caravana de serviços do Energia com Cidadania, projeto da Coelba, empresa do Grupo Neoenergia, contemplará o bairro de São Cristóvão.

Até o dia 06/12, os moradores da região contam com serviços da concessionária, palestras e informações sobre o uso racional e seguro da energia, além de serviços oferecidos por parceiros do projeto, como abertura Conta Caixa Fácil, cadastro nos programas sociais do Governo (Bolsa Família), emissão Carteira de Trabalho, dentre outros.

O caminhão do projeto está instalado no estacionamento do Salvador Norte Shopping. O horário de atendimento durante a semana é das 8h às 16h30. No sábado, a unidade funciona das 8h às 12h, apenas para serviços da Coelba. A iniciativa integra o Programa de Eficiência Energética da Coelba, regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

O projeto, cujo objetivo é facilitar o acesso dos consumidores a diversos serviços, já passou por 30 bairros da capital. No caminhão do projeto, os moradores do bairro têm à disposição serviços da Coelba como atualização cadastral, troca de titularidade, baixa de conta, segunda via, ligação nova, religação, parcelamento especial, mudança de endereço, cadastro na Tarifa Social de Energia Elétrica, entre outros. Também serão ministradas palestras sobre o Uso Racional e Seguro da Energia.

 
.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 18h58m


Produzindo em escala reduzida desde fevereiro deste ano, o grupo francês Saint-Gobain escolheu a Bahia para construir a segunda unidade de fabricação de drywall da Placo do Brasil. Executivos da empresa, o governador Jaques Wagner, o secretário da Indústria e Comércio, James Correia, entre outras autoridades, participaram na tarde desta terça-feira (25) da inauguração oficial da unidade fabril no município de Feira de Santana, a 110 quilômetros de Salvador.

A nova fábrica dispõe de equipamentos de última geração e tem capacidade para produzir mais de 20 milhões de metros quadrados de drywall por ano. De acordo com o governador Jaques Wagner, a terceira edição do programa Minha Casa Minha Vida deverá utilizar, para a construção das unidades habitacionais, as placas de drywall. O material substitui o cimento e o tijolo na construção civil e é muito utilizado em cinemas, por ser eficiente no isolamento acústico e no controle da temperatura ambiente.

Até o momento, estão sendo geradas pela empresa 70 vagas de empregos diretos, priorizando a mão de obra local. O grupo Saint-Gobain investiu cerca de R$ 125 milhões na construção da unidade. De acordo com o diretor da Placo do Brasil, Stenio de Almeida, existe uma crescente demanda de drywall nos estados do Nordeste. O executivo também informou que fatores como a localização geográfica de Feira de Santana, município próximo às BRs 101 e 116, e o diálogo com o poder público pesaram na decisão da empresa de expandir os negócios no Brasil a partir da Bahia.

“O Nordeste cresce mais do que o Sudeste e o Sul do país. Então, queríamos estar mais próximos dos mercados que estão crescendo, de maneira mais rápida, e também mais próximos da matéria prima [gipsita]. A Bahia é um estado singular do ponto de vista econômico e que se preparou, por meio do seu governo, para receber os investimentos privados”, disse Almeida, executivo da companhia.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 18h50m


A nova equipe econômica da presidente Dilma será anunciada até quinta-feira e vai assumir seus postos imediatamente, segundo informa a Folha de São Paulo.

Guido Mantega deve deixar ocargo na próxima sexta-feira para  que Joaquim Levy possa assumir. Levy e Barbosa chegaram nesta terça-feira a Brasília para reuniões com a equipe da presidente Dilma, com o objetivo de preparar o anúncio das linhas gerais das medidas que os dois vão implementar no segundo mandato da petista.
 
O mesmo deve ocorrer no Ministério do Planejamento, com Miriam Belchior transferindo o cargo para Nelson Barbosa. Os novos ministros vão propor ajustes de efeito imediato e ações de médio e longo prazos para garantir "confiança e sustentabilidade" ao país.
 
Enquanto Levy dará sua contribuição no lado fiscal, Barbosa apresentará ideias na área desenvolvimentista, com Tombini reforçando o compromisso de trazer a inflação de volta para o centro da meta (4,5% ao ano).
 
 O anúncio dos ministros está  atrelada, no entanto,  à aprovação de um projeto de lei que autoriza o governo a descumprir a meta de economia para pagamento de juros da dívida pública neste ano, que está sendo apreciado no plenário do Congresso. 

.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 16h55m


O Brasil tem um longo caminho para reatar a relação com os investidores. A opinião é do diretor de estudos da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Álvaro Pereira. "O Brasil tem muito trabalho a fazer para se tornar um país mais amigo do investimento", disse em teleconferência com jornalistas latino-americanos. O caminho para essa reconquista passa necessariamente pela execução de reformas estruturais, sugere.

Pereira argumentou que o Brasil precisa retomar o roteiro adotado há duas décadas. "Nos anos 1990, o País executou reformas muito importantes para conseguir a estabilidade macroeconômica. Nos últimos 15 ou 20 anos, isso foi muito importante para o Brasil atrair investimentos", disse. O esforço reformista, porém, foi praticamente interrompido e o esforço do governo passou a ser direcionado às políticas sociais. Para a OCDE, é hora de voltar o foco para as reformas.

"Pensamos que nos últimos anos tivemos passos importantes para lutar contra a desigualdade. Agora, é muito importante que o governo pense que os próximos anos sejam dedicados às reformas estruturais", disse Pereira. "O Brasil deve executar reformas para aumentar o investimento. É muito importante que o País tenha mais recursos especialmente em infraestrutura. Também é preciso ter um clima melhor de negócios e a melhora do sistema de impostos, principalmente os indiretos", defendeu.

O diretor da OCDE disse que a agenda de reformas não é exclusividade do Brasil e outros países da na América Latina também têm igual necessidade. O México, porém, foi colocado em outro nível e foi exaltado como exemplo. "Na OCDE, o México é visto como um exemplo a ser seguido não apenas pela América Latina, mas como pelo restante dos membros. O México fez grandes reformas em setores importantes como energia e telecomunicações após um grande pacto entre os principais partidos", disse.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 16h53m
 

Apesar da volatilidade do mercado financeiro nos últimos meses, os estrangeiros continuam interessados nos títulos do Tesouro Nacional. A participação de não residentes na dívida interna bateu recorde no mês passado. Em outubro, os investidores internacionais detinham R$ 417,87 bilhões em papéis do governo, 20,38% do total da dívida pública mobiliária (em títulos) interna.
 
Pela primeira vez, a participação de estrangeiros superou a marca de 20%. De acordo com o coordenador-geral de Operações da Dívida Pública, Fernando Garrido, isso demonstra a tranquilidade dos investidores externos em relação à economia brasileira. “Em outubro, não se observaram dificuldades nem problemas de rolagem. Isso se deu, em parte, por causa da participação dos estrangeiros”, declarou.
 
Segundo o coordenador, os aplicadores estrangeiros preferem papéis prefixados de médio e de longo prazos. No mês passado, 44,5% dos investimentos internacionais em títulos da dívida interna concentravam-se em papéis a partir de três anos. Quanto maior o prazo dos títulos comprados, maior a confiança dos investidores de que o emissor, o Tesouro Nacional, conseguirá honrar os compromissos. Apesar de a demanda dos investidores estrangeiros não ter sido abalada, os juros dos títulos da dívida interna refletiram a instabilidade na economia doméstica nos últimos meses. As Letras do Tesouro Nacional com vencimento em outubro de 2018, papéis atualmente mais vendidos no mercado, pagaram 12,86% ao ano de juros em 20 de novembro. No leilão de 2 de outubro, a taxa estava em 12,58% ao ano.
 
O coordenador evitou associar o aumento da taxa às expectativas em torno da equipe econômica no segundo mandato da presidenta Dilma Rousseff. No entanto, reconheceu que o mercado financeiro atravessa um período de instabilidade. “Os juros [dos títulos públicos] são basicamente um reflexo das expectativas dos agentes econômicos. A conjuntura e diversos fatores econômicos interferem na formação das taxas”, declarou. (Agência Brasil)



 
.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 16h34m


O futuro presidente da Frente Parlamentar da Agricultura (FPA), deputado Marcos Montes (PSD-MG), defendeu a escolha da senadora Kátia Abreu (PMDB-TO), presidente da Confederação Nacional do Agronegócio (CNA), para o ministério da Agricultura no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff.

"Não sei quem será o ministro ou ministra, mas vejo com bons olhos o fato do ministro ser nomeado junto com a equipe econômica, em uma sinalização de que o ministério terá mais força no próximo mandato", afirmou Montes. "Se a senadora Kátia for escolhida, já é bom sinal, mostra essa disposição para fortalecer o ministério", completou.

Kátia foi escolhida pela presidente Dilma, mas ainda não teve o nome oficializado. O anúncio, criticado por setores do PT e alguns grupos do agronegócio, é aguardado para quinta-feira. A FPA era uma das entidades críticas à atuação da senadora, que, na visão dos deputados, tinha evitado enfrentar o governo na discussão do Código Florestal em 2011 já com a intenção de se aproximar de Dilma.

O atual presidente da FPA, Luiz Carlos Heinze (PP-RS), disse que tanto Kátia quanto o atual ministro, Neri Geller (PMDB), são bons nomes, que conhecem o setor e que terão apoio dos produtores rurais. "A Kátia fez uma opção política [aproximação com o PT] e temos que respeitar. Eu não apoiei a Dilma. Tínhamos do Aécio a promessa de um ministério da Agricultura forte, esperamos que a Dilma também tenha essa intenção", afirmou.

O deputado Alceu Moreira (PMDB-RS), contudo, demonstrou descontentamento com a indicação da presidente da CNA. Disse que grande parte da FPA tem resistência ao nome dela e que a bancada do PMDB, que apoiou nos bastidores a escolha de Geller, preferia a permanência dele. As informações são do Valor.




 

.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 16h12m
 

O tradicional dia de promoções dos Estados Unidos caiu nas graças dos brasileiros, ávidos por descontos e ofertas nas lojas online - que, por sua vez, estão loucas para esvaziar seus estoques antes do Natal. A estimativa da Black Friday Brasil, que acontece a partir da zero hora da sexta (28) - mesmo dia em que devem ser pagas as primeiras parcelas do 13º salário -   é faturar R$ 1 bilhão em apenas um dia. Em 2013,  foram R$ 424 milhões. 
 
Para o idealizador da Black Friday no Brasil, Pedro Eugênio, a cada ano que passa o evento vem puxando as vendas para produtos de maior valor agregado, como telefonia, eletros e passagens aéreas. “Houve um crescimento muito forte no número de oferta desses itens”, registra.  No ano passado, a faixa de descontos ficou entre 30% e 70%. “Moda foi a categoria onde o consumidor encontrou os maiores índices de redução”. O site Black Friday Brasil já registrou 12 milhões de usuários cadastrados para receber, em tempo real, as ofertas que irão circular pela rede durante todo o dia. 
 
Em 2013 foram 80 milhões de acessos simultâneos. “O consumidor aprendeu a comprar no Black Friday. Antes tinha-se a sensação de que toda loja estava em promoção, mas melhoramos o processo e todas as lojas participantes se comprometeram a indicar quais são os produtos que participam da promoção”.  Ainda segundo Pedro Eugênio, o consumidor deve fugir dos horários de pico se quiser evitar os congestionamentos. “Meia-noite de quinta para sexta, e meio-dia de sexta são os horários de maior acesso”.
 
A fim de barrar qualquer tipo de desconfiança, a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Camara-e.net) criou um selo contra fraudes e descontos falsos. “O objetivo foi congregar empresas comprometidas com as ofertas reais em oposição às promoções  maquiadas, que comprometem a credibilidade das compras via internet”, justifica o presidente da Câmara-e.net, Ludovino Lopes. Até o momento, mais de 412 empresas estão cadastradas no programa Black Friday Legal (BFL). O número praticamente dobrou em relação ao ano passado (123 empresas). “Para o comércio eletrônico, o Black Friday se tornou a data do ano”.



 
.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 15h50m


A Assessoria de Comunicação da Prefeitura informou hoje (25) que nesta sexta-feira (28) começa a fiscalização para aplicar multa em quem for flagrado jogando lixo ou urinando nas ruas de Salvador. Inicialmente, a ação será educativa. Quarenta fiscais participarão da operação.

De acordo com a presidente da Limpurb, Kátia Alves, a Prefeitura irá informar à população sobre a lei, com campanhas nas TVs, rádios, jornais e internet sobre a importância de respeitar os locais corretos para jogar o lixo. Passado este período, que deve durar 60 dias, quem for flagrado jogando lixo nas ruas receberá multas que vão de R$ 64 a R$ 2.016, a depender da quantidade.

Em caso de recusa, o infrator será detido. O prazo para quitar o débito é de 60 dias, mas, se vencer e a multa for ignorada, o cidadão terá o nome incluído no SPC e Serasa. A Prefeitura também informou que está prevista também, no decreto municipal, multa para outros tipos de infrações, como pichações e urinar em via pública (até R$ 1.008).



 

.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 15h31m

 
O final de ano se aproxima, e junto com ele os planos para as festas de Natal e Ano Novo. Com família, amigos ou até mesmo sozinho, se programar para os festejos é sempre algo prazeroso. Porém visitar a capital soteropolitana tem assustado alguns turistas, por conta do preço das passagens aéreas. Em uma rápida busca por pacotes oferecidos por agências de viagens, é possível constatar que pode ser mais barato visitar outros países do que alguma cidade da região nordeste brasileira.  
 
Por se tratar de um período considerado caro, por ser a estação mais quente do ano, viajar em dezembro e janeiro pode trazer surpresas desagradáveis ao bolso. Se o destino for o Nordeste, uma das regiões mais cobiçadas pelos brasileiros durante o verão, o susto pode ser ainda maior. Basta uma rápida visita em sites de agências de viagens para constatar que os pacotes oferecidos, incluído hospedagens com café da manhã, podem variar, e muito, de preço.   Numa simulação de compra saindo de São Paulo com destino a Salvador no dia 27 de dezembro e retornando no dia 04 de janeiro, o turista pode desembolsar uma quantia de varia de R$ 2.140 a R$ 7.809, com hospedagem e café da manhã. Quem pretende curtir apenas os festejos e planeja chegar à capital baiana no dia 29 e retornar no dia 02, encontra preços de pacotes que variam de R$ 2.140 mil à R$ 5.788 mil.
 
De acordo com o presidente da Federação Baiana de Hospedagem e Alimentos (FeBHA) e vice-presidente do Sindicato dos Hotéis, Silvio Pessoa, a grade de programação para o final de ano em Salvador, assim como os preços dos hotéis estão atraentes, porém as passagens ainda são consideradas caras. “Qualquer destino da região Nordeste ainda é muito caro, pois é o local que está no imaginário do brasileiro quando associado às férias. O prefeito fez muito bem em lançar a grade de programação das festas, com oito dias de eventos. Temos bons preços para hotéis e pousadas, mas as passagens ainda são muito caras. Em dezembro elas sempre ficam duas ou três vezes mais caras”, afirmou.
 
Esta afirmação pode ser comprovada quando simulamos compras de pacotes de viagens, partindo de Salvador para outras regiões do país. De Salvador para São Paulo, partindo no dia 29 e retornando dia 02, o viajante pode encontrar preços que variam entre R$ 1.470 a R$ 5.696. Já de Salvador para o Distrito Federal, os pacotes variam entre R$ 2.118 à R$ 6.581. Quem quiser visitar os vizinhos argentinos também encontra preços acessíveis para os festejos de final de ano. Oito dias em Buenos Aires pode custar cerca de R$ 4 mil e dois dias, cerca de R$ 2.800. (TB)


 
.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 15h06m


Envolvida em diversos escândalos de corrupção e tendo uma grande perda de valor por conta dos preços represados de combustíveis, a Petrobras (PETR3;PETR4) foi a empresa que mais perdeu valor de mercado durante o governo de Dilma Rousseff, sendo seguida pela mineradora Vale (VALE3;VALE5).

É o que mostra o estudo da consultoria Economática, que calculou a variação nominal do valor de mercado de 272 empresas de capital aberto brasileiras entre os dias 31 de dezembro de 2010 e no dia 24 de novembro de 2014.  No período anunciado pela consultoria, a petrolífera registrou uma perda de R$ 200,6 bilhões, passando de R$ 380,2 bilhões para R$ 179,5 bilhões.

A segunda empresa com maior queda é a Vale com R$ 159,3 bilhões de perda de valor no período, passando de um valor de mercado de R$ 275 bilhões para R$ 115,6 bilhões. A OGX Petróleo (OGXP3) perdeu R$ 64,3 bilhões, passando de R$ 64,66 bilhões para R$ 324 milhões.

Dentre as empresas que mais ganharam valor, os bancos também estão em destaque, mas foi a Ambev (ABEV3) que "brilhou" no governo Dilma, com valorização de R$ 120,46 bilhões ao passar de um valor de R$ 144,36 bilhões para R$ 264,82 bilhões. As informações são da uol.


 

.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 14h42m


A participação do investidor estrangeiro na dívida mobiliária federal interna subiu em outubro e marcou novo recorde. A participação avançou de 19,32% em setembro para 20,38% no mês passado. Em valor absoluto, passou de R$ 401,69 bilhões para R$ 417,87 bilhões, também novo recorde.

No mês, a Dívida Pública Mobiliária Federal Interna (DPMFi) caiu 1,36%, para R$ 2,050 trilhões, de acordo com o Tesouro Nacional. As instituições financeiras encerram o mês respondendo por 26,34% da DPMFi, contra 28,22% em setembro. Os fundos de investimento ampliaram a participação, de 20,48% para 20,98%.

As instituições de previdência fecharam outubro com 17,5% da dívida, contra 17,51% em setembro. O governo ampliou marginalmente sua fatia de 6,07% para 6,08%. Já as seguradoras subiram sua participação de 4,04%, para 4,11%. A participação de papéis pós-fixados na DPFMi subiu em outubro e chegou a 20,01% ante 19,28% em setembro, segundo informou o Tesouro.

Pelas metas estabelecidas pelo Plano Anual de Financiamento (PAF), esses títulos devem apresentar percentual de participação entre 14% e 19%, mas a métrica considerada é a Dívida Pública Federal (DPF). Considerando, então, a dívida total, a participação desses papéis teve alta para 19,04% em outubro, vindo de 18,36% em outubro.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 14h00m


“É uma alegria enorme estar no bairro de Cajazeiras para participar da inauguração de uma obra pública com esse porte, à altura da população”, afirmou o governador eleito da Bahia, Rui Costa, ao se referir ao novo Ginásio de Cajazeiras, que foi entregue nesta terça-feira (25) à população de Salvador.

Ele definiu o ginásio como um equipamento de inclusão social, e esperança de um futuro melhor para a juventude da comunidade local. A intenção do novo governador é fortalecer a prática do esporte em toda a Bahia. “Quando damos oportunidade de esporte, cultura e educação aos jovens, estamos construindo uma sociedade de paz, com mais alegria nas famílias”. A obra do governo do Estado contou com mais de R$13 milhões em investimentos públicos.

Cajazeiras e bairros vizinhos estão contemplados nos planos do próximo governador. A continuidade de projetos é certa e novidades estão previstas no programa de governo. O metrô para a comunidade local já possui arranjo financeiro, R$ 800 milhões foram assegurados na última semana. E a Avenida 29 de Março vai passar por todo o vale da região e seguir até o bairro de Paripe, conforme o documento. Com isso, ele defendeu que “o miolo da cidade terá uma nova forma de se movimentar”.

Ao ser questionado sobre o andamento da reforma na máquina pública, Rui disse que o anúncio da nova estrutura tem data marcada para a próxima segunda-feira, dia 1º de dezembro. “Vamos apresentar a nova proposta aos deputados da base e também faremos uma coletiva à imprensa. Neste momento, estamos finalizando os trabalhos”.

 
.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 13h37m


Uma decisão tomada nesta terça-feira (25) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) deve contribuir para reduzir o custo da energia no país e, em consequência, aliviar os altos reajustes nas contas de luz esperados para os próximos anos no Brasil. A diretoria da agência aprovou a redução do preço máximo a ser cobrado pela energia negociada no chamado mercado à vista, dos atuais R$ 822,83 para R$ 388,48 o megawatt-hora (MWh).

A legislação do país obriga as distribuidoras a terem, sob contrato e a preços fixos, toda a eletricidade que precisam para atender aos seus consumidores. Isso visa evitar que essas distribuidoras precisem recorrer ao mercado à vista, onde os preços flutuam de acordo com a situação dos reservatórios das hidrelétricas e previsão de chuvas, por exemplo.

Se o preço da energia no mercado à vista dispara, distribuidoras descontratadas (que usam mais eletricidade do que aquela que possui sob contrato) são obrigadas a pagar caro pela energia extra, e essa conta é depois repassada aos consumidores, ou seja, provoca o aumento das contas de luz.

Isso foi exatamente o que ocorreu no país em 2014: devido à estiagem, o preço da energia no mercado à vista disparou - nesta semana, por exemplo, ele está fixado no limite máximo de R$ 822,83 o megawatt-hora. E como diversas distribuidoras no país estavam descontratadas, se viram diante de uma conta extra bilionária que gerou uma crise financeira no setor elétrico.

Segundo relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), essas distribuidoras não têm sob contrato toda a energia que precisam porque o governo deixou de realizar um leilão no final de 2012.

Diante da crise, as distribuidoras pediram socorro ao governo que, em março, anunciou um plano para financiar os gastos extras provocados pela alta no preço da energia e pelo uso mais intenso das termelétricas, outra consequência da queda no armazenamento dos reservatórios. Foram autorizados, então, empréstimos bancários no total de R$ 17,8 bilhões, que serão repassados às contas de luz entre 2015 e 2017. (G1)


 

.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 12h20m


Com capacidade para um público de mais de duas mil pessoas nas arquibancadas, as instalações do Ginásio Poliesportivo de Cajazeiras foram entregues à população de Salvador na manhã desta terça-feira (25). Além de beneficiar a população da capital baiana, por ser um espaço para a prática de esporte e também para o lazer, o ginásio ainda possui uma estrutura capaz de sediar jogos de seleções de vôlei, basquete, futsal e handebol.

Durante a cerimônia de entrega do ginásio, o governador Jaques Wagner, que aproveitou para visitar o espaço e cumprimentar atletas de basquete da comunidade, falou sobre a importância do equipamento, principalmente, para o bairro de Cajazeiras.

"O bairro está recebendo uma estrutura capaz de receber jogos e eventos de grande porte, mas o nosso foco é o incentivo ao esporte, é dar estímulo a essa juventude que agora tem um lugar de excelência para a prática de esportes. Isso muda a vida e a dinâmica dessa comunidade, e é essa a nossa intenção", destacou.

Construído pelo Governo do Estado, através das superintendências dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb) e de Construções Administrativas da Bahia (Sucab), o ginásio recebeu R$ 13 milhões em investimentos. Esses recursos possibilitaram a instalação de quadra poliesportiva com dimensões oficiais, capaz de receber competições de vôlei, basquete, handebol e futebol de salão, além de um campo gramado para futebol society na área externa ao ginásio.

O ginásio está localizado em um terreno de cerca de 12 mil metros quadrados, com uma área construída de pouco mais de três mil metros quadrados. O equipamento possui capacidade para 2.060 espectadores, com alojamento, vestiários, sanitários para atletas e para o público em geral (inclusive portadores de deficiências), tribuna de honra e sala de imprensa, e acesso para cadeiras de rodas, com utilização de plataforma hidráulica. Na área externa, ainda foi construída uma área de convivência com parque infantil, estacionamento com 50 vagas para automóveis, e pátio para ônibus.

 

.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 11h59m
 

 
A presidente Dilma Rousseff, segundo assessores, estabeleceu como meta do próximo titular do BNDES, o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social, a promoção de uma guinada na condução da política de financiamento.

Ao contrário do cenário de vacas gordas com o qual o atual ocupante do cargo, Luciano Coutinho, vem trabalhando desde o início da crise financeira internacional, o novo presidente do banco, cujo nome ainda não foi anunciado, assumirá com menos dinheiro para emprestar e com taxas de juros mais altas para as empresas.

Em nome da saúde das contas públicas e da corrida para evitar o iminente rebaixamento na nota de crédito do Brasil, a presidente já decidiu que terá que “poupar” o caixa do Tesouro Nacional e limitar os subsídios aos investidores. Desde a queda do banco de investimentos norte-americano Lehman Brothers, em 2008, a equipe econômica brasileira vem usando o BNDES numa tentativa de impulsionar a taxa de investimentos da economia e, consequentemente, manter o PIB crescendo. 


 
.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 11h38m
 

 
O prefeito ACM Neto (DEM) deve enviar ainda esta semana para a Câmara Municipal, o projeto que muda as regras do Imposto sobre a Propriedade Predial Urbana (IPTU), conforme ele já prometeu a empresários do ramo imobiliário no encontro da Ademi, em Praia do Forte. 
 
Segundo informações da coluna Tempo Presente, a judicialização do projeto em vigor pegou mal, em termos financeiros, e agora, de acordo com o vereador Joceval Rodrigues (PPS), o prefeito prepara “um pacote de bondades”.(PL)


 
.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 11h19m
 
 
 
 
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu novo processo contra o empresário Eike Batista. O órgão apura se o empresário teria infrigindo o artigo 115 da Lei das Sociedades Anônimas.
 
O artigo em questão determina que “o acionista não poderá votar nas deliberações da assembleia-geral relativas ao laudo de avaliação de bens com que concorrer para a formação do capital social e à aprovação de suas contas como administrador nem em quaisquer outras que puderem beneficiá-lo de modo particular, ou em que tiver interesse conflitante com o da companhia”.
 
O empresário teria infringido a lei enquanto presidente do Conselho de Administração da Óleo e Gás Participações S.A (Ogpar). Este é o nono processo sancionador da comissão contra Eike Batista. Há ainda outras 15 denúncias em fase de apuração, que ainda não tiveram processos abertos. O processo está em fase pelo pronunciamento da defesa do empresário.

O G1 entrou em contato com o advogado do empresário, Sérgio Bermudes, que declarou que ainda não conhece os termos da ação e que teve notícias do processo nesta segunda-feira (24).

A CVM não tem poder de Justiça comum. No entanto, as informações sobre as investigações administrativas podem ser solicitadas pelo Ministério Público para fundamentar denúncias – como no caso das três apresentadas em São Paulo e no Rio de Janeiro, segundo a comissão.


 
.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 11h12m


A Região Metropolitana de Salvador (RMS) está na 11ª posição no ranking do IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) das 16 regiões pesquisadas pelo Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento).

Em 2010, a grande Salvador apresentou IDHM de 0,743, ficando na faixa de Desenvolvimento Humano Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799). Em 2000, o índice na RMS tinha sido de 0,685.

Salvador está à frente de Recife (0,734), Natal (0,733) e Fortaleza (0,732). Mas ficou atrás de São Luiz (0,755). A região metropolitana de São Paulo aparece no topo do ranking com índice de 0,794.

Entre 2000 e 2010, a população de Salvador cresceu a uma taxa média anual de 0,91%, enquanto no Brasil foi de 1,01%, no mesmo período. Nesta década, a taxa de urbanização do município passou de 99,96% para 99,97%. Em 2010 viviam, no município, 2.675.656 pessoas.

A renda per capita média de Salvador cresceu 70,51% nas últimas duas décadas, passando de R$ 570,63, em 1991, para R$ 685,87, em 2000, e para R$ 973,00, em 2010. A taxa média anual de crescimento foi de 20,20%, entre 1991 e 2000, e 41,86%, entre 2000 e 2010.

A proporção de pessoas pobres, ou seja, com renda domiciliar per capita inferior a R$ 140,00 (a preços de agosto de 2010), passou de 32,15%, em 1991, para 24,29%, em 2000, e para 11,35%, em 2010.

Entre 2000 e 2010, a taxa de atividade da população de 18 anos ou mais (ou seja, o percentual dessa população que era economicamente ativa) passou de 71,32% em 2000 para 70,49% em 2010. Ao mesmo tempo, sua taxa de desocupação (ou seja, o percentual da população economicamente ativa que estava desocupada) passou de 23,44% em 2000 para 12,55% em 2010.

O IDHM é um número que varia entre 0 a 1: quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento humano de um estado, município ou região metropolitana. Os dados constam do Atlas do Desenvolvimento Humano nas Regiões Metropolitanas Brasileiras, divulgado nesta terça-feira, 25, fruto de parceria entre o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e a Fundação João Pinheiro.

Veja também: Cai a diferença de IDH no Brasil



.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 11h02m
 
 
Após fechar no negativo na véspera, a Bovespa retomava o fôlego na manhã desta terça-feira (25), ainda com os radares voltados para a confirmação de Joaquim Levy no Ministério da Fazenda.

Às 10h16, o Ibovespa, principal índice da bolsa paulista, subia 1,30%, a 56.124 pontos. Veja a cotação. As ações ordinárias da Petrobras subiam 1,86%, por volta do mesmo horário, e as preferenciais avançavam 2,25%.
 
Na véspera, a estatal voltou aos holofotes após divulgar que recebeu notificação da Securities and Exchange Commission (SEC) – órgão que regula o mercado de capitais nos Estados Unidos – para o envio de documentos relativos a uma investigação que o órgão está fazendo sobre a empresa brasileira.

Na segunda-feira, o Ibovespa encerrou o dia em queda de 1,21%, a 55.406 pontos. O volume financeiro do pregão foi de R$ 8,6 bilhões.



 
.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 10h47m


O percentual de famílias endividadas caiu pelo terceiro mês seguido em novembro, segundo pesquisa divulgada nesta terça-feira (25) pela Confederação Nacional do Comércio (CNC). O levantamento mostra que 59,2% das famílias tinham dívidas no mês. Em agosto, eram 63,6%.

A fatia de famílias inadimplentes, no entanto, cresceu de 17,8% em outubro para 18% em novembro. Também ficou maior o percentual das que declararam não ter condições de pagar suas dívidas em atraso, de 5,4% para 5,5%.

Em nota, a CNC aponta que a cautela das famílias em relação ao consumo, adicionada à proximidade das festas de fim de ano, faz com que mais consumidores quitem suas dívidas. “Entretanto, entre as famílias com dívidas, o comprometimento da renda com o pagamento destas aumentou, acompanhando o custo elevado do crédito”.

Em todos os indicadores, as famílias com renda de até dez salários mínimos superam as que ganham acima desse valor. Segundo o levantamento, 60,7% das famílias com renda menor estão endividadas, enquanto entre as com renda mais elevada esse percentual é de 52,1%. A inadimplência atinge 20,1% das famílias com renda até dez salários, e 9% das com renda superior a esse patamar.
Já a fatia dos que não terão condição de pagar a dívida é de 6,5% entre os mais pobres, e de 2% entre os mais ricos. (G1)


 

.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 10h20m


O Banco Central informou nesta terça-feira (25) que lançará, no dia 28 de novembro, no Rio de Janeiro, as primeiras nove moedas comemorativas do programa numismático dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.
Todos os projetos foram desenvolvidos pelas equipes do Banco Central e da Casa da Moeda do Brasil, com o suporte técnico do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

Esta primeira série a ser lançada ainda neste mês contará com uma moeda de ouro, quatro de prata e quatro de circulação comum. O programa compreenderá ao todo 36 moedas, que serão lançadas até 2016, informou a autoridade monetária.

A moeda de ouro homenageia, além do Cristo Redentor, a corrida de 100 metros rasos, um dos esportes que representa o lema Olímpico “Citius, Altius, Fortius” (mais rápido, mais alto, mais forte). Ela custará R$ 1.180,00. A tiragem máxima será de 5 mil moedas.

As moedas de prata homenageiam o Rio de Janeiro: os anversos, com paisagens conhecidas onde o carioca pratica esportes como remo, corrida, ciclismo e vôlei de praia; os reversos, com aspectos da cultura e da natureza da cidade e do Brasil. Toninha (espécie de golfinho), Bromélia, Arcos da Lapa e Bossa Nova inauguram as quatro séries temáticas: Fauna, Flora, Arquitetura e Música, respectivamente. As moedas de prata custarão R$ 195 e terão tiragem máxima de 25 mil moedas.

Os esportes Olímpicos e Paralímpicos são os destaques das moedas de circulação comum, de R$ 1. No primeiro lançamento, Atletismo e Natação representam dois dos esportes em que o Brasil conquistou mais medalhas em Jogos Olímpicos; Golfe​ e Paratriatlo, as duas modalidades que passarão a fazer parte dos Jogos de 2016. O preço da "cartela" será de R$ 13 e a tiragem máxima será de 200 mil cartelas. As moedas de R$ 1 entrarão em circulação pela rede bancária e uma parte será vendida em embalagens especiais para coleção, informou o Banco Central. (G1)


 

.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 10h02m
 

A logística do transporte no território brasileiro apresenta predominância de rodovias, concentradas principalmente no Centro-Sul do país, em especial no estado de São Paulo, segundo o Mapa da Logística dos Transportes no Brasil, divulgado nesta terça-feira (25) pelo IBGE.
 
Em 2009, segundo a Confederação Nacional de Transportes (CNT), 61,1% de toda a carga transportada no Brasil usou o sistema modal rodoviário; 21,0% passaram por ferrovias, 14% pelas hidrovias e terminais portuários fluviais e marítimos e apenas 0,4% por via aérea.
 
De acordo com o levantamento, São Paulo é o único estado com uma infraestrutura de transportes na qual as cidades do interior estão conectadas à capital por uma vasta rede, incluindo rodovias duplicadas, ferrovias e a hidrovia do Tietê. Além disso, o estado ainda comporta o maior aeroporto (Guarulhos) e o porto com maior movimentação de carga (Santos) do país.
 
Há ainda a extensão de rodovias pavimentadas não duplicadas no noroeste do Paraná, Rio de Janeiro, no sul de Minas Gerais e Distrito Federal e entorno, bem como no litoral do Nordeste, entre o Rio Grande do Norte e Salvador, na Bahia, que evidencia a importância econômica dessas regiões, que demandam por maior acessibilidade e melhor infraestrutura de transporte.
 
De acordo com o IBGE, historicamente, a malha ferroviária acompanhou a expansão da produção cafeeira até o oeste paulista do século XIX até o início do século XX. Porém, os principais eixos ferroviários da atualidade são usados para o transporte das commodities, principalmente minério de ferro e grãos provenientes da agroindústria.

Algumas das ferrovias mais importantes são a Ferrovia Norte-Sul, que liga a região de Anápolis (GO) ao Porto de Itaqui, em São Luís (MA), transportando predominantemente soja e farelo de soja; a Estrada de Ferro Carajás, que liga a Serra dos Carajás ao Terminal Ponta da Madeira, em São Luís (MA), levando  principalmente minério de ferro e manganês e a Estrada de Ferro Vitória-Minas, que carrega predominantemente minério de ferro para o Porto de Tubarão.

 
.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 09h59m
 
 
O dólar opera em queda em comparação com o real nesta terça-feira (25), após ter fechado em alta na véspera, primeira em cinco sessões. O mercado ainda aguarda a definição da nova equipe econômica do governo de Dilma Rousseff.
 
Às 9h27, a moeda norte-americana tinha recuo de 0,20%, a R$ 2,5437.  O dólar fechou em alta na segunda-feira (24), após iniciar o dia em queda e recuar para o patamar de R$ 2,50 no início dos negócios. Investidores compraram a moeda em reação às notícias sobre a equipe econômica do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff, que agradou o mercado, segundo a agência Reuters. A moeda norte-americana subiu 1,08%, a R$ 2,5488. No mês e no ano, a moeda acumula valorização de 2,83% e 8,11%, respectivamente.



 
.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 09h41m
 
 
A telefonia e o acesso à internet no Brasil ainda estão entre os mais caros do mundo. A constatação é da União Internacional de Telecomunicações (UIT), em um estudo publicado em Genebra. O documento revela que o custo de uma ligação pelo celular no Brasil é superior a todos os países europeus e consome uma proporção maior da renda que em países como Cuba ou Paquistão. 
 
De 166 países avaliados, apenas 47 têm custo superior na ligação ao que o brasileiro paga, entre eles Etiópia, Albânia e Madagascar. Os locais onde a ligação tem o menor custo são Macao, Hong Kong e Dinamarca. O pacote que serve de comparação seria a assinatura mensal de um celular, com 30 ligações por mês, mais 100 mensagens de texto.
 
O valor médio do serviço no Brasil chegaria a US$ 48,32/mês, ao final de 2013. Em comparação à renda média do país, isso representa um custo de 4,96%. Em Macau, o mesmo serviço custa menos de US$ 6 e representa meros 0,11% da renda. O SindiTelebrasil - entidade que representa as empresas de telefonia no Brasil  - argumentou que o estudo da UIT utiliza dados defasados.
 
O sindicato das empresas já havia apresentado, no começo de outubro, um estudo da consultoria Teleco no qual as operadoras demonstram que o minuto do celular pré-pago no Brasil é o quarto mais barato do mundo.

 
.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 09h39m
 

 
A diferença entre São Paulo e Manaus, respectivamente o maior e o menor Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) entre 16 regiões metropolitanas do país, diminuiu de 22,1% para 10,3% entre 2000 e 2010. O IDHM é um índice composto por três das mais importantes áreas do desenvolvimento humano: vida longa e saudável (longevidade), acesso ao conhecimento (educação) e padrão de vida (renda).
 
O Atlas do Desenvolvimento Humano nas Regiões Metropolitanas Brasileiras foi divulgado agora pouco pelo IBGE  e foi produzido pelo Programa das Nações Unidas pelo Desenvolvimento (Pnud), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pela Fundação João Pinheiro.
 
O IDHM vai de 0 a 1: quanto mais próximo de zero, pior o desenvolvimento humano, quanto mais próximo de um, melhor. O quadro total: Como em 2000, Manaus obteve o pior índice e São Paulo, o melhor. Mas a disparidade entre as duas regiões metropolitanas foi reduzida. Em uma década, a região paulista cresceu 11,2% e chegou ao IDHM de 0,794. Manaus teve o maior crescimento do país no período, 23% – foi do índice 0,585, classificado como "baixo", para 0,720, faixa "alta".
 
As outras 14 regiões metropolitanas analisadas no atlas tinham pontuação entre 0,6 e 0,699 em 2000, considerada "média". Em 2010, todas as capitais cresceram e passaram a ter índice entre 0,7 e 0,799, classificada como "alta". Em 2000, Manaus estava abaixo da primeira faixa (0,585) e São Paulo, acima (0,714).
 
Das 16 regiões metropolitanas analisadas pelos pesquisadores, nove mantiveram a posição inicial. Curitiba, que estava em 2º lugar em 2000, foi para 3º, ultrapassada por Brasília (Região Integrada de Desenvolvimento do DF). A capital federal e municípios ao redor ocupavam o 6º lugar uma década antes e cresceram 16,4%. Já Belo Horizonte caiu de 3º para 4º. O Rio de Janeiro, que estava em 4º, foi para o 6º lugar. Porto Alegre, que ocupava a 5ª posição, desceu para a 9ª. Atualmente, Manaus, que tem o menor IDHM, tem índice 3,15% maior do que tinha Curitiba em 2000, quando a capital paranaense ocupava a 2ª melhor posição no ranking.

 
.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 09h30m
 
 
A confiança do consumidor paulistano teve leve alta de 0,1% em novembro, segundo a Fecomercio-SP, para 116 pontos. Na comparação com o mesmo mês de 2013, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) teve queda de 16%.
 
Mas o índice que avalia a percepção sobre as condições econômicas atuais – um dos componentes do ICC – caiu 3,4% no mês, para 103,4 pontos. É o menor patamar desde outubro de 2005.

Segundo a Fecomercio, o resultado negativo se deu principalmente pela queda de confiança da parcela de consumidores com renda mais alta (superior a dez salários mínimos), o público feminino e os consumidores com menos de 35 anos de idade.

Os consumidores, no entanto, estão mais confiantes no futuro. Segundo componente do ICC, o indicador que aponta perspectivas para a situação futura teve alta de 2,3% de outubro para novembro.



 
.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 09h26m
 
 
Segundo pesquisa divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), os portos baianos de Aratu e Salvador estão entre aqueles que mais exportam soja e minério de ferro no país. No geral os portos servem primariamente como vias de saída de commodities, como petróleo e seus derivados, que estão entre os principais produtos da exportação brasileira. Em relação à soja, destacam-se os portos de Itacoatiara (AM), Paranaguá (PR), Rio Grande (RS), Salvador (BA), Santarém (PA), São Francisco do Sul (SC) e o Porto de Itaqui (MA).
 
Os combustíveis e derivados de petróleo se destacam em diversos terminais do Nordeste, especialmente Aratu (Candeias - BA), Itaqui (MA), Fortaleza (CE), Suape (Ipojuca – PE), Maceió (AL) e São Gonçalo do Amarante (Pecém - CE).
 
Os portos que mais movimentam minério de ferro são os terminais privados de Ponta da Madeira, da Vale S.A., em São Luís (MA) e de Tubarão, em Vitória (ES). O primeiro recebe principalmente a produção da Serra de Carajás, no Pará; o segundo está associado à produção do estado de Minas Gerais.
 
A maior quantidade de carga movimentada nos portos organizados do país está localizada no Porto de Santos (SP), devido à sua posição estratégica. Ele está em terceiro lugar no ranking que considera Portos Organizados e Terminais de Uso Privativo (liderado pelos Terminais Privados de Ponta da Madeira e Tubarão) e movimenta, em grande escala, carga geral armazenada e transportada em contêiner. Ele é o ponto de escoamento da produção com maior valor agregado que segue para outras regiões do país, bem como para exportação, além de ser local de desembarque mais próximo ao maior centro consumidor do país, onde se destaca a Grande São Paulo.



 
.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 09h20m
 
 
O Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas registrou crescimento de 4,4% em outubro em comparação com setembro, mesmo aumento em relação a outubro de 2013. No acumulado de janeiro a outubro, na comparação com o mesmo período do ano passado, o indicador teve alta de 7,1%.
 
De acordo com os economistas da Serasa Experian, a alta da inadimplência das empresas tanto em relação a setembro quanto outubro do ano passado decorre da estagnação econômica e custo do crédito sobre a saúde financeira das empresas. "Se por um lado, o enfraquecimento da atividade econômica prejudica a geração e caixa das empresas, por outro, o encarecimento do custo do crédito aumenta as suas despesas financeiras", informa a Serasa Experian.

Os cheques sem fundos foram os principais responsáveis pela alta do indicador em outubro, com variação de 22,9% e contribuição de 3,3 pontos percentuais. Os títulos protestados tiveram crescimento de 3,3% e contribuição de 0,8 p.p. A inadimplência com os bancos também aumentou 1,4% e contribuiu com 0,3 p.p. Já as dívidas não bancárias (junto aos cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica, água etc.) apresentaram ligeira queda de 0,1% e não teve contribuição no índice de outubro.


 
.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 09h01m
 
 
A economia global vai gradualmente melhorar ao longo dos próximos dois anos, mas o Japão vai crescer menos do que se esperava, enquanto a zona do euro enfrenta estagnação e maior risco de deflação, previu nesta terça-feira (25) a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).
 
Haverá divergências marcantes entre países, tanto em termos de crescimento quanto em relação à política monetária, provocando volatilidade nos mercados de dívida e câmbio, informou a OCDE.
 
De maneira geral, a economia global deve crescer 3,3% neste ano, 3,7% em 2015 e 3,9% em 2016, segundo a organização, confirmando projeções publicadas antes da cúpula do G20 neste mês.

A maioria das estimativas não foi alterada, mas a previsão do Japão caiu para menos que a metade para 2014, a 0,4%, e passou a 0,8% no ano que vem, após o país inesperadamente entrar em recessão no terceiro trimestre. As previsões anteriores eram de 0,9% e 1,1%, respectivamente.

Mas a OCDE ainda espera que o Japão se recupere, uma vez que os lucros corporativos permanecem altos e o enfraquecimento do iene vai ajudar as exportações.

Uma preocupação maior para o instituto baseado em Paris é a zona do euro, que, segundo a organização, "pode ter caído em uma persistente armadilha de estagnação". "A zona do euro corre o risco de deflação se o crescimento estagnar ou se as expectativas de inflação caírem mais", acrescentou. 



 
.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 08h56m


Ao menos US$ 7,6 trilhões - 8% da riqueza mundial - estão em contas de particulares em paraísos fiscais, revela um recente estudo publicado no Journal of Economic Perspectives.

As contas de europeus são maioria, e somam US$ 2,6 trilhões em Estados que misturam debilidade do sistema fiscal e obscuridade financeira, afirma o francês Grabiel Zucman, professor assistente na London School of Economics.

Na segunda posição estão os asiáticos, com US$ 1,3 trilhão, os americanos, com US$ 1,2 trilhão, e residentes dos países do Golfo, com US$ 700 bilhões.

O estudo leva em conta apenas os ativos financeiros e não os bens mobiliários ou imobiliários que também possam manter nesses paraísos fiscais.

Segundo o estudo, as multinacionais americanas utilizam cada vez mais os paraísos fiscais para reduzir seus impostos. Em 2013, 55% de sua renda no exterior estava localizada nesses Estados, especialmente Luxemburgo e Cingapura, contra pouco mais de 20% há 30 anos. (FP)

 

.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 08h44m


Depois de atingir o menor patamar da série histórica em outubro, a confiança do setor da construção subiu 1% este mês. A alta do mês, no entanto, foi insuficiente para alterar a tendência do indicador, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV).

“A melhora da confiança em novembro não permite ainda vislumbrar mudanças significativas no cenário do setor. O indicador de expectativas com a demanda para os próximos três meses atingiu o patamar mais baixo da série. A previsão de contratação continuou a evoluir negativamente, o que significa que as demissões podem ser mais fortes nesse final de ano”, apontou, em nota, a Coordenadora de Projetos da Construção da FGV/Ibre, Ana Maria Castelo.

A alta do índice em novembro foi resultado, principalmente, da melhora relativa da satisfação dos empresários da construção em relação à situação atual. O índice que mede esse sentimento teve alta de 2,3% em novembro, depois de recuar 6,5% no mês anterior. As expectativas para os próximos meses, por sua vez, ficaram estáveis. (G1)

 

.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 08h31m


Os shoppings de Salvador estão prontos para iniciar a cobrança pelo uso do estacionamento ainda no início de dezembro. A ideia, contudo, enfrenta resistências. A primeira delas é que nenhum estabelecimento quer implementar a medida isoladamente e a dificuldade é acertar uma data comum nesta época de Natal, quando o setor aposta suas fichas para reverter um 2014 tido como “difícil”.

Novato no grupo, o Bela Vista anunciou que vai manter suas vagas abertas e livres de cobranças. Movimento seguido por Itaigara e Paseo. O acordo envolvendo os outros shoppings estabelece o preço de R$ 6 para as duas primeiras horas de estacionamento. As horas seguintes seriam cobradas por fração.

Ainda está em estudo a possibilidade de os empreendimentos darem a gratuidade do estacionamento quando as compras passarem de um valor pré-estabelecido. Essa última medida divide os lojistas. Acredita-se que beneficia apenas as grandes lojas, em detrimento dos pequenos.

A estratégia dos shoppings é manter silêncio, o que evidencia uma ideia de pegar o consumidor de surpresa, evitando o seu deslocamento para um centro de compras concorrente. (Correio)


 

.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 08h18m


Trinta mil baianos devem recuperar acesso ao crédito neste final de ano, usando parte do 13º salário para negociar suas dívidas. Pelo menos esta é a expectativa dos organizadores do Feirão do Nome Limpo, promovido pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas da Bahia (FCDL-BA) e que começou ontem no Centro de Convenções.

O evento, que segue até sábado, sempre das 8h às 18h, reúne empresas de diversos segmentos para dar descontos e condições especiais de pagamento para consumidores com nome negativado em cadastros de proteção ao crédito.

Com o nome ‘limpo’ (fora do cadastro), o consumidor pode voltar a tomar empréstimos e financiar suas compras, o que movimenta o comércio no final do ano. “Esse consumidor, quando consegue voltar ao mercado de crédito, oxigena o mercado de varejo”, assegurou o diretor executivo da FCDL-BA, Carlos Machado.

Segundo dados da FCDL nacional, existem hoje 600 mil pessoas com restrições de crédito inscritas no Serasa. É com 13º que a técnica de enfermagem Jussara Amorim pretende pagar a dívida com a Faculdade São Salvador,  onde cursa Enfermagem. A negociação lhe rendeu um desconto de R$ 120 na dívida que era de R$ 1.200. (Correio)

 

.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 08h01m


O prefeito ACM Neto assinou, ontem (25), a ordem de serviço para início imediato da requalificação do Parque da Cidade, no Itaigara. As intervenções na área do parque devem ser concluídas em maio de 2015 pela empresa vencedora da licitação, a AIF.

Até lá, atividades como Domingo no Parque e shows no anfiteatro ficam suspensas. “Todo o processo foi dialogado. Os empresários que realizam eventos aqui se sensibilizaram e entenderam que essa intervenção é necessária. Queremos tornar o Parque da Cidade, um espaço contemporâneo e atrativo”, disse o prefeito ACM Neto, na sede do Parque Social, onde ocorreu o evento.

A prefeitura anunciou que será montada uma base da Guarda Municipal, que vai funcionar em regime de 24 horas. Além disso, haverá uma nova iluminação, toda em LED. O projeto prevê ainda uma praça de skate, espaço para meditação, ciclovia e brinquedos acessíveis para crianças com deficiência, além de ampliação dos sanitários e requalificação do anfiteatro.

Serão investidos R$ 11 milhões no local — dos quais R$ 5 mi são contrapartida da Petrobras e R$ 6 mi do município.  Segundo o secretário da Cidade Sustentável, André Fraga, o projeto foi feito a partir do diálogo também com moradores da Santa Cruz e do Itaigara. Entre as mudanças está a implantação de um gradil que vai circundar em boa parte os 70 hectares do parque. (Correio)

 

.............................................................................................................................................................................................................................................
25/11 - 07h59m
 
 
Instituições públicas e gratuitas têm até sexta-feira, 28, para aderirem ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do Ministério da Educação, referente ao primeiro semestre de 2015. Todos os procedimentos operacionais referentes ao Sisu serão feitosexclusivamente online, por meio do sistema. O termo de adesão terá prazo para retificação de 4 e 10 de dezembro próximo.
 
A seleção dos candidatos às vagas oferecidas pelo Sisu terá como base, exclusivamente, os resultados obtidos pelos estudantes no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014. O exame foi aplicado nos dias 8 e 9 de novembro. Mais de 6,2 milhões de candidatos fizeram as provas em pelo menos 1,7 mil municípios.

Na primeira edição de 2014 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), 54 das 59 universidades federais do país abriram vagas pelo programa. Em 2013, foram 43 as instittuições que aderiram ao Sisu. Houve, também, a expansão de 32,5% no número de vagas, que passou de 129.319, em 2013, para 171.401 neste ano.


 
.............................................................................................................................................................................................................................................


Rua Dr. José Peroba, 297, edf. Atlanta Empresarial, sala 1503 - Stiep - Salvador CEP: 41.770 - 235 - Tel: 3272 - 2960