COLUNISTAS
 

ARMANDO AVENA - A ECONOMIA DO FORRÓ
ADARY OLIVEIRA - A PETROQUÍMICA E A ATRAÇÃO DE NOVOS INVESTIMENTOS
LUCAS LEAL - A SEMANA NA BOLSA DE VALORES - MAIS DO MESMO


BUSCA
 



ENTREVISTAS
 


CEZAR LEITE - VEREADOR PELO PSDB


SEU INVESTIMENTO
 


VAI VIAJAR DE ÚLTIMA HORA? VEJA COMO ECONOMIZAR NAS FÉRIAS DE JULHO




FRASE DO DIA
 


"Além de uma tradição cultural que precisa ser mantida e potencializada, o São João da Bahia também é uma atividade econômica para as cidades baianas. Acredito que o São João é para o interior, proporcionalmente, o que o Carnaval é para Salvador. Gera renda, atrai visitantes. As pessoas alugam suas casas, pousadas e hotéis ficam lotados e o comércio local é movimentado. Por isso é importante a participação do Estado para que as festas aconteçam",

Rui Costa(PT)
Governador da Bahia  









NOTÍCIAS
 
ESTALEIRO NAVAL EM MARAGOJIPE VAI GERAR 30 MIL EMPREGOS
02/07 - 07:41hs - Érica de Sá


 



O governo da Bahia está trazendo a indústria naval para o Estado, através da implantação de estaleiro para a construção de navios, plataformas e manutenção na BTS e região de São Roque do Paraguaçu. A previsão é de R$ 1,4 bilhão em investimentos e geração de até 30 mil  empregos. O feito envolve uma realização de capacitação de mão de obra para 1.200 pessoas em Maragogipe.
 
Para a realização do projeto, foi feita uma Audiência Pública de licenciamento, em janeiro deste ano, que contou com a participação 1.500 pessoas. Também já foi obtida a Licença Ambiental Prévia, em maio passado.
 
Outro Protocolo de Intenção, assinado com a Construtora Norberto Odebrecht, prevê investimentos de R$ 500 milhões, geração de cinco mil empregos diretos na construção de navios e plataformas. Vale ressaltar também o Protocolo de Intenção da UTC Engenharia, este com investimentos de R$ 960 milhões e geração de quatro mil empregos para construção de plataformas off shore.

Empregos

 
O estaleiro  Paraguaçu terá capacidade para construir plataformas de petróleo e navios e vai criar cerca de oito mil empregos, diretos e indiretos, sendo que 70 % serão de mão de obra local. Na fase inicial, serão contratados 3,9 mil trabalhadores e quatro mil na fase de operação.

A indústria brasileira de construção naval emprega diretamente mais de 46 mil pessoas. Considerando os empregos indiretos na indústria fornecedora e de serviços, somam-se 230 mil postos de trabalho, com um salário médio de R$1.500, representando uma contribuição anual de cerca de R$ 4 bilhões à massa salarial brasileira. O mercado brasileiro para a construção naval prossegue promissor por estar ancorado na Petrobras.





Rua Dr. José Peroba, 297, edf. Atlanta Empresarial, sala 709/710 - Stiep - Salvador CEP: 41.770 - 235 - Tel: 3037 - 2960, Tel - 3565 - 2888