COLUNISTAS

A CANDIDATURA DE MARINA SILVA PODE SER BOA PARA A ECONOMIA BRASILEIRA?

FRASE DO DIA

"Todas as nossas perspectivas que ela [a indústria eólica] salte dos atuais 2% para algo como 11 ou 12% de participação de energia em dez anos”.

Presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, ao comentar crescimento do setor eólico no país.

ESTALEIRO NAVAL EM MARAGOJIPE VAI GERAR 30 MIL EMPREGOS
02/07 - 07:41hs - Érica de Sá


 



O governo da Bahia está trazendo a indústria naval para o Estado, através da implantação de estaleiro para a construção de navios, plataformas e manutenção na BTS e região de São Roque do Paraguaçu. A previsão é de R$ 1,4 bilhão em investimentos e geração de até 30 mil  empregos. O feito envolve uma realização de capacitação de mão de obra para 1.200 pessoas em Maragogipe.
 
Para a realização do projeto, foi feita uma Audiência Pública de licenciamento, em janeiro deste ano, que contou com a participação 1.500 pessoas. Também já foi obtida a Licença Ambiental Prévia, em maio passado.
 
Outro Protocolo de Intenção, assinado com a Construtora Norberto Odebrecht, prevê investimentos de R$ 500 milhões, geração de cinco mil empregos diretos na construção de navios e plataformas. Vale ressaltar também o Protocolo de Intenção da UTC Engenharia, este com investimentos de R$ 960 milhões e geração de quatro mil empregos para construção de plataformas off shore.

Empregos

 
O estaleiro  Paraguaçu terá capacidade para construir plataformas de petróleo e navios e vai criar cerca de oito mil empregos, diretos e indiretos, sendo que 70 % serão de mão de obra local. Na fase inicial, serão contratados 3,9 mil trabalhadores e quatro mil na fase de operação.

A indústria brasileira de construção naval emprega diretamente mais de 46 mil pessoas. Considerando os empregos indiretos na indústria fornecedora e de serviços, somam-se 230 mil postos de trabalho, com um salário médio de R$1.500, representando uma contribuição anual de cerca de R$ 4 bilhões à massa salarial brasileira. O mercado brasileiro para a construção naval prossegue promissor por estar ancorado na Petrobras.