SUCESSÃO
PT vê em Wagner autoridade política e moral para restabelecer a normalidade na estatal
8º SALÃO IMOBILIÁRIO DA BAHIA DEVE MOVIMENTAR R$ 1,2 BILHÃO
IMÓVEIS

8º SALÃO IMOBILIÁRIO DA BAHIA DEVE MOVIMENTAR R$ 1,2 BILHÃO
 FORD NA BAHIA É UMA DAS MAIORES PLATAFORMAS DE IMPORTAÇÃO DE CARROS DO PAÍS
BAHIA INVEST

FORD NA BAHIA É UMA DAS MAIORES PLATAFORMAS DE IMPORTAÇÃO DE CARROS DO PAÍS
COLUNISTAS
ENQUETE

QUAL SERÁ A BASE DA POLÍTICA ECONÔMICA DA PRESIDENTE DILMA NO 2º GOVERNO?

FRASE DO DIA

“Sempre tem algum grau de dificuldade, quer dizer, não é dificuldade. Sempre tem um aperto. Como tem o aperto, é preciso tomar medidas saneadoras ou economizadoras para que você possa fechar a conta".

Governador Jaques Wagner ao justificar medidas para conter despesas públicas no final do seu governo.



OUTRAS NOTÍCIAS
31/10 - 20h01m


O Comitê de Risco da Austin Rating, em reunião realizada nesta sexta-feira, 31, rebaixou o rating de longo prazo do Brasil, em escala global, de BBB ("triplo B") para BBB- ("triplo B menos") em moeda estrangeira.

Segundo Comitê de Risco da agência, o rebaixamento do rating está fundamentado na piora acentuada das contas fiscais (baixo superávit primário e elevado déficit nominal), nas contas externas (forte queda do saldo comercial e forte elevação do déficit em transações correntes), na persistência das condições monetárias desfavoráveis (inflação corrente em alta e inflação prospectiva rigidamente elevada e próxima ao limite superior determinado no sistema de metas para inflação, que é de 6,5%).

Além disso, pesaram também as perspectivas de crescimento econômico insuficiente para reverter tais cenários no médio prazo, que segundo estimativas apuradas junto ao relatório Focus do Banco Central (BC), a taxa média de crescimento do PIB para o período 2014 a 2018 é de apenas 1,91%, portanto, muito inferior ao PIB potencial do País.

"As condições supracitadas têm afetado de forma significativamente os fatores de produção, em particular o nível de emprego no setor industrial, bem como o nível de confiança de consumidores e empresários que, por sua vez, têm reduzido os níveis de investimentos na economia brasileira com efeitos negativos sobre a dinâmica macroeconômica prospectiva", afirmam os membros da Conselho de Risco da Austin Rating por meio de nota enviada ao mercado. As informações são da Agência Estado.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 19h29m


O ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, defendeu o programa Inovar Auto, contestado pela União Europeia na Organização Mundial do Comércio (OMC). "Achamos que as nossas regras são plenamente compatíveis com as normas da OMC e vamos demonstrar isso no painel", afirmou.

A União Europeia entrou nesta sexta-feira, 31, com o pedido de abertura de um processo questionando o programa, depois de já ter feito consultas ao Brasil. Não satisfeita com as explicações brasileiras, optou por abrir um painel de controvérsias.

A avaliação do governo brasileiro é de que isso só deve acontecer efetivamente em 2015, já que deve ser feita uma reunião para tratar do tema antes da abertura oficial do painel. Este ano, os europeus questionaram também a manutenção da zona franca de Manaus, mas terminaram por não levar adiante um processo.

Figueiredo não acredita que a controvérsia irá atrapalhar a negociação de um acordo de livre comércio entre União Europeia e Mercosul, que está sendo negociado desde o ano passado. "São processos diferentes", defendeu. De qualquer forma, o acordo está parado. O governo brasileiro afirma que a proposta do Mercosul está pronta, mas ainda não foi marcada uma data para troca de ofertas. As informaçõs são da Agência Estado.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 18h46m


A situação atual dos principais reservatórios de hidrelétricas do Brasil é de alerta, mas se as chuvas do verão ocorrerem normalmente, o sistema elétrico nacional conseguirá garantir o abastecimento em 2015, disse o diretor-geral da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), Romeu Rufino.

Nesta sexta-feira, o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) previu que o nível dos reservatórios das hidrelétricas do Sudeste deve cair a cerca de 15,5 por cento no fim de novembro. "É uma situação de alerta. Tem que monitorar, como já se faz", disse.

Segundo Rufino, a não ser que haja um período de chuva excepcionalmente bom, dificilmente em uma única temporada de chuvas os reservatórios voltarão a ficar cheios. "Mas se tivermos um regime de chuvas dentro da normalidade, que é o que os estudos apontam, aí passamos bem (...) dá para administrar bem a situação", disse.

No relatório desta sexta-feira, o ONS previu que as chuvas no Sudeste - onde estão alguns dos principais reservatórios - deverão ficar a 74 por cento da média histórica em novembro. O diretor disse ainda que em no máximo duas semanas a Aneel vai colocar em audiência pública proposta de alocar para as distribuidoras, em cotas, a energia das usinas hidrelétricas cujas concessões vencem no ano que vem.

Segundo Rufino, a definição sobre a divisão dessa energia ocorrerá ainda em novembro, antes do leilão de energia existente A-1 previsto para 5 de dezembro. As informações são da Reuters.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 18h24m


A reunião do Conselho de Administração da Petrobras (PETR4), iniciada na manhã desta sexta-feira, em São Paulo, foi suspensa no início da tarde sem que qualquer decisão tivesse sido tomada, disse uma fonte com conhecimento do assunto à agência de notícias Reuters.

Havia a expectativa de que um aumento dos combustíveis fosse discutido na reunião desta sexta-feira, que será retomada na terça-feira, dia 4. "A reunião foi interrompida, foi suspensa, vai continuar na terça-feira, não foi nada decidido", afirmou a fonte, que pediu para não ser identificada. A fonte não respondeu sobre o motivo da suspensão. As informações são da Reuters.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 18h12m


Com o pior resultado da história nas contas públicas em setembro, o Brasil está a um passo de perder o grau de investimento se o governo não sinalizar que cortará gastos no próximo ano, avaliam economistas. Um possível rebaixamento pode desqualificar o país para receber investimentos estrangeiros.

Para o especialista em contas públicas da Tendências Consultoria, Felipe Salto, o déficit primário de R$ 20,39 bilhões no mês passado – somado ao rombo de R$ 15,7 bilhões desde janeiro –, “foi pior que as expectativas dos mais pessimistas”.

O resultado, em sua avaliação, aumenta o risco do país de perder o grau de investimento, embora acredite que ainda há tempo de o governo agir para evitar esse cenário antes de as agências baterem o martelo.

As agências de classificação de risco não tomarão qualquer medida antes de o governo anunciar o rumo de sua política econômica para o próximo ano, diz o ex-secretário de Assuntos Econômicos do Ministério do Planejamento e especialista em contas públicas, Raul Velloso.

Tudo vai depender da disposição do governo em cortar gastos em 2015, acredita Velloso. “Nenhum governo é suicida para negar austeridade em um momento como este”. (G1)


 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 17h55m


Após fechar com forte valorização nesta sexta-feira (31) com principal indicador disparando em 4,38%, cotado a 54.628 pontos, a Bovespa teve a maior alta diária desde o último dia 13.

O resultado veio em linha com índices no exterior e após o Banco Central do Japão surpreender ao ampliar seu programa de estímulos monetários. A temporada de balanços doméstica também merecia atenção, com números de empresas como BRF, Pão de Açúcar e Ambev, de acordo com a agência Reuters.

Em meio a expectativas de mudança na política econômica no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff, dados negativos sobre as contas públicas no Brasil também repercutiram, após déficit primário do setor público recorde de R$ 25,491 bilhões em setembro, muito pior do que o estimado no mercado.

Segundo disse à Reuters o analista de renda variável Fabio Lemos, da Sao Paulo Investments, a bolsa ainda interpreta o resultado das eleições, especulando sobre o rumo da política econômica, com ações respondendo à temporada de balanços e o cenário externo mais favorável amparando ganhos.

"Ainda é cedo para avaliar o movimento recente como uma tendência de alta. Não acredito que isso ocorra até que medidas sejam tomadas. Os dados fiscais nesta manhã mostraram o tamanho do ajuste que precisa ser feito", observou.

Por volta do fechamento, as ações das empresas Oi e TIM tiveram as maiores altas do dia, perto de 14% e 12%, respectivamente, após rumores de que a Oi, Vivo e Claro teriam fechado acordo para comprar a TIM, com o apoio do BTG Pactual. A notícia foi publicada pelo jornal Folha de S.Paulo.

Na semana, a Bovespa acumula alta de 5,18%. No mês, o índice subiu 0,95%, e 6,06% no ano.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 17h34m


A partir desta segunda-feira (3), o atendimento do posto Ceprev Brotascenter – voltado a aposentados e pensionistas – será totalmente transferido para o SAC Servidor, localizado no Multishop Boca do Rio, em Salvador. As demais unidades do Ceprev, lotadas nos postos SAC da capital, continuarão funcionando normalmente.

O redirecionamento dos serviços, iniciado em setembro, tem como objetivo proporcionar mais conforto e agilidade no atendimento aos aposentados e pensionistas, pois o SAC Servidor possui estrutura ampla e mais adequada para esse público. O atendimento acontecerá de segunda a sexta-feira, das 8 às 17h.

O superintendente da Previdência do Estado, Pedro Araújo, informa que o posto Ceprev Brotascenter tem registrado a média de 4,1 mil atendimentos mensais. “É o maior número entre todas as 48 unidades de atendimento. No entanto, percebemos que a estrutura do Brotascenter não mais se adequava a essa nova realidade. Decidimos assim transferir para o SAC Servidor, levando mais comodidade para os aposentados e pensionistas”.

A unidade de atendimento da Previdência Estadual no SAC Servidor oferece os mesmos serviços disponibilizados atualmente no Ceprev Brotascenter. O servidor pode protocolar o pedido de aposentadoria, pensão por morte ou auxílio-reclusão, realizar o recadastramento, esclarecer dúvidas sobre direitos previdenciários, obter a segunda via de contracheque e certidão negativa de benefício previdenciário, entre outros serviços.

 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 17h15m


Segundo dados do Procon-SP, as 68 campanhas de recall de veículos que ocorreram este ano, até a quarta-feira (29.10), já afetaram 941,7 mil unidades, quase 394 mil a mais que no mesmo período do ano passado – um acréscimo de 71%. Até outubro de 2013, foram 55 campanhas que afetaram quase 547,8 mil veículos. O número de campanhas aumentou 24% na comparação entre 2013 e 2014 – entre janeiro e outubro de cada ano.

Problemas com airbag estão em primeiro lugar no ranking de motivos para recall. Só este ano, já foram 12 campanhas por esse motivo, que afetaram 186,5 mil consumidores. No mesmo período do ano passado, 10 campanhas afetaram 55 mil veículos.

A General Motors (GM), montadora que mais vende carros no Brasil, convocou seus consumidores brasileiros em 14 campanhas este ano, segundo os dados do Procon-SP. Em 2013, foram apenas cinco. Globalmente, a GM, que fabrica e comercializa veículos com a marca Chevrolet no Brasil, passa por uma crise. No início deste ano, a marca convocou um recall global de 2,6 milhões de carros por um problema na ignição, que pode sair da posição e parar o veículo, desabilitando airbags. O problema está ligado a ao menos 29 mortes.

A Fiat, que, até outubro de 2013 convocou apenas um recall que afetou dois modelos da marca, este ano fez uma campanha que abrangeu 16 modelos com problemas no sistema de tração.

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) também vê a realização de recall de maneira positiva. Em nota, a associação afirma que “a prática reflete a atitude madura dos fabricantes de veículos, que sempre que necessário convocam seus consumidores para verificação de eventual não conformidade e respectiva solução”. A associação afirma ainda que a indústria automobilística é pioneira na realização de campanhas de chamamento no mundo e no Brasil.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 17h05m


O fornecimento de água será interrompido em 40 bairros de Salvador na próxima segunda-feira, 3, a partir das 5 horas da manhã. A interrupção acontece para o remanejamento de adutora pela Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), para permitir a sequência das obras do metrô de Salvador.

A Embasa fará a mudança de trecho de adutora, na altura da localidade de Bom Juá, onde será implantado um pilar de sustentação da nova linha do metrô.

Interrupção ocorrerá nos seguintes bairros: Ribeira, parte do Bonfim, Caminho de Areia, Massaranduba, Boa Viagem, parte do Lobato, Roma, Jardim Cruzeiro, Calçada, Mares, Baixa do Fiscal, Mata Escura, Calabetão, Capelinha, Boa Vista de São Caetano, São Caetano, Fazenda Grande, Bairro Guarany, Curuzu, IAPI, Pero Vaz, parte da Liberdade, Largo do Tanque, Alto do Pará, parte de Santa Mônica, Largo do Retiro, San Martin, Baixa do Santo Antônio, parte da Barros Reis, Jardim Brasília, Engomadeira, Arraial do Retiro, Cabula, Pernambués, Narandiba, Saboeiro, Tancredo Neves, Novo Horizonte, Sussuarana Nova e Sussuarana Velha.

O serviço deve ser concluído até as 20 horas do mesmo dia, quando o abastecimento começará a ser retomado de forma gradativa. A Embasa ressalta que a interrupção não afetará os imóveis que contam com reservação adequada para satisfazer as necessidades diárias de consumo de seus moradores. As informações são do A Tarde.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 16h55m


O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou com alta de 4,38%, a 54.628,6 pontos nesta sexta-feira (31). Foi a maior alta percentual diária desde 13 de outubro, quando subiu 4,78%. Com isso, a Bolsa fechou a semana pós-eleições com alta de 5,17%, o maior avanço desde a semana terminada em 21 de março (quando a alta foi de 5,37%).

A Bolsa também conseguiu anular as perdas mensais (que até ontem estavam em 3,29%) e fechou outubro com alta de 0,95%.

No mercado cambial, o dólar comercial fechou em alta de 2,94%, negociado a R$ 2,479 na venda. Foi a maior alta percentual diária desde 23 de novembro de 2011, quando o dólar também tinha subido 2,94%.

Com isso, o dólar fecha a semana com ganhos de 0,88% e encerra outubro com avanço de 1,25%. No ano, até agora, a moeda acumula alta de 5,14%. Segundo operadores, a moeda subiu para "compensar" um pouco as quedas recentes. As informações são do uol.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 16h45m


O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) prorrogou para o dia 30 de novembro o prazo para renovação semestral dos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) firmados no segundo semestre de 2013 e no primeiro e segundo semestres de 2014.

Os estudantes devem fazer o aditamento de contrato online pelo Sistema Informatizado do Fies (SisFies). A medida está em portaria divulgada hoje (31) no Diário Oficial da União.

O Fies é destinado à concessão de financiamento a estudantes regularmente matriculados em cursos superiores privados, com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação. O programa oferece cobertura de 50% a 100% do valor da mensalidade e juros de 3,4% ao ano.

O contratante só começa a quitar o financiamento 18 meses depois de formado. O número de contratos formalizados desde 2010 já passa de  1,1 milhão.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 16h29m


A União Europeia (UE) denunciou formalmente o Brasil nesta sexta-feira na Organização Mundial do Comercio (OMC) por conceder subsídios que considera ilegais para vários setores da economia, no que será o maior litígio comercial que Brasília enfrentará.

O pedido de painel contra o Brasil pelos europeus ocorre apenas cinco dias depois da reeleição da presidente Dilma Rousseff, uma indicação de que, na avaliação dos europeus, a política comercial brasileira não sofrerá alterações. Na prática, os europeus contestam o centro da política industrial implementada até agora pelo governo de Dilma Rousseff, incluindo exigências de conteúdo local, que são normalmente proibidas pelas regras da OMC.

A UE pede para que seu pedido entre na agenda da reunião de dia 14 de novembro do Órgão de Solução de Controvérsias. Os europeus iniciaram em 19 de dezembro do ano passado o mecanismo de disputa contra o Brasil, pedindo consultas sobre o que considera uma série de medidas fiscais discriminatórias adotadas pelo governo brasileiro contra produtos estrangeiros e, ainda, da concessão de "ajuda proibida" aos exportadores nacionais.

Agora, a UE afirma que as consultas fracassaram e pede para os juízes da OMC decidirem o caso. Desde 2011, a UE vinha reclamando do Inovar-Auto, programa que estimula a inovação na produção nacional de carros, mas dificulta a importação. Na queixa apresentada hoje na OMC, a UE reclama também de medidas de apoio para os setores de informática, automação, programa para inclusão digital e outros. As informações são do Valor.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 16h28m


A segunda etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa 2014 terá início, na maioria dos estados brasileiros, nesse sábado (1/11), informou o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) nessa quinta-feira (31). A meta é vacinar aproximadamente 150 milhões de bovinos e bubalinos.

A primeira etapa da campanha ocorreu no primeiro semestre deste ano. A iniciativa é conduzida pelo Mapa, por meio da Secretaria de Defesa Animal (SDA) e das Superintendências Federais de Agricultura (SFA), em conjunto com os serviços veterinários estaduais.

Nos seguintes estados: Acre, Alagoas, Amazonas, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Piauí e São Paulo, a vacinação deve ser feita em todo o rebanho de bovinos e bubalinos. Em Roraima a campanha está sendo finalizada e em Rondônia teve início na metade do mês de outubro.

Nos estados da Bahia, de Goiás, de Mato Grosso do Sul, de Minas Gerais, do Rio de Janeiro, do Rio Grande do Sul, de Tocantins, de Sergipe e no Distrito Federal, a vacinação deve ser feita nos animais com idade abaixo de 24 meses. Já no Amapá, ocorrerá a primeira vacinação anual de todo o rebanho. O estado de Santa Catarina não está inserido no calendário, por já ser reconhecido como zona livre de febre aftosa sem vacinação.

Durante a primeira etapa da Campanha de Vacinação contra a Aftosa, 97,55% do rebanho brasileiro foi vacinado. Até o final de 2013 a população total de bovinos e bubalinos era de 212,4 milhões de cabeças.

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 15h51m


O Palácio do Planalto procura uma solução política para a sucessão na Petrobras e um dos nomes em análise é o do governador da Bahia, Jaques Wagner, segundo anunciou hoje (31) o jornal Valor Econômico.

Wagner, que elegeu seu sucessor Rui Costa para o governo do estado, é o nome preferido do PT que vê nele autoridade política e moral para restabelecer a normalidade na estatal, virtualmente paralisada com os escândalos de corrupção objetivos de delação premiada na Operação Lava-Jato.

Nos últimos dias, o governador também esteve cotado para ser um dos ministros no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff. Na última segunda-feira (27), ela recebeu o Wagner para um encontro no Palácio da Alvorada.

Em 2005, Wagner assumiu a Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, que cuida da articulação do Executivo com o Congresso Nacional. Ele também foi ministro do Trabalho e secretário especial do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES).

 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 15h41m


O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel, disse nesta sexta-feira, 31, que os gastos com previdência impactaram o resultado fiscal de setembro. Em agosto, elas somaram R$ 5,861 bilhões e saltaram para R$ 13,642 bilhões em setembro.

"Há concentrações de despesas no fim do ano, como 13º salário", explicou. Em setembro do ano passado o resultado também havia sido elevado, déficit de R$ 11,763 bilhões. No ano, os gastos previdenciários somam R$ 47,664 bilhões, o equivalente a 1,26% do PIB.

De acordo com Maciel, o superávit acumulado em 12 meses, como proporção do Produto Interno Bruto (PIB), ficou em 0,16%, o menor desde janeiro de 2000. Para ele, menor crescimento da atividade econômica tem impacto significativo. Ele argumentou que a arrecadação dos Estados caiu e afetou o desempenho fiscal. O ICMS, que é a principal fonte de arrecadação dos regionais, mostra queda de 0,6% de janeiro a agosto (último dado disponível).

Maciel disse ainda, que, considerando os parâmetros atuais para o resultado primário de 2015, o cálculo estrutural utilizado pela instituição convergeria para a neutralidade ao final do ano que vem. O cálculo do BC leva em consideração o impulso fiscal de um ano para o outro. (ESP)


 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 15h39m


A taxa de desemprego nas seis regiões metropolitanas acompanhadas pela PME/IBGE deve ficar em 5,0% em outubro de 2014, segundo a projeção Catho-Fipe. Esse valor é 0,1 ponto percentual maior do que o registrado em setembro de 2014 e 0,2 ponto percentual menor que o registrado em outubro de 2013, o que confirma a longa trajetória de queda apresentada por este indicador.

A Fipe e a Catho também apresentam nesse mês a evolução da ‘pressão salarial’, que é a razão entre o salário médio de admissão e o salário médio de desligamento. Na série dessazonalizada, esse indicador vem caindo desde meados de 2012; em setembro de 2014, último dado disponível, registrou seu menor valor desde dezembro de 2009. Isso significa que a relação entre o salário oferecido para os novos contratados tem ficado relativamente mais baixo em comparação com os salários daqueles que deixam seus empregos.

Ao compilar e processar informações de currículos, anúncios de vagas e de contratações disponibilizados pela Catho, a Fipe calcula uma estimativa para a taxa de desemprego da Pesquisa Mensal de Emprego (PME/IBGE). A estimativa da Taxa de Desemprego Antecipada de outubro de 2014 é de 5,0%, 0,2 ponto percentual menor em relação ao mesmo mês de 2013.

Este resultado, se for confirmado, representará a menor taxa de desemprego já apurada pelo IBGE para o mês desde a introdução da atual metodologia da PME, iniciada em 2002. A estimativa da Taxa de Desemprego Antecipada é feita por meio da técnica do “nowcasting”, que utiliza dados disponibilizados em “tempo real” para produzir informações e estatísticas precisas, sem a necessidade de esperar semanas ou meses até os institutos de pesquisa divulgarem os indicadores oficiais e defasados.

No caso da Taxa de Desemprego, a Fipe cruza informações obtidas com buscas na Internet (por meio de palavras chave relacionadas a emprego, por exemplo) com informações de vagas, candidatos e contratações da Catho, além de outros dados econômicos e também a própria série da PME dos meses anteriores para estimar a taxa de desemprego do mês corrente, sempre divulgada no último dia útil do mês.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 15h30m


Nesta segunda-feira (3), será realizado uma mudança de trecho de adutora, na altura do bairro de Bom Juá, para a implantação de um pilar de sustentação da nova linha do metrô. Com o remanejamento, de acordo com a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), 40 bairros de Salvador ficarão sem água a partir das 5 horas da manhã.

Os bairros são: Ribeira, parte do Bonfim, Caminho de Areia, Massaranduba, Boa Viagem, parte do Lobato, Roma, Jardim Cruzeiro, Calçada, Mares, Baixa do Fiscal, Mata Escura, Calabetão, Capelinha, Boa Vista de São Caetano, São Caetano, Fazenda Grande, Bairro Guarany, Curuzu, IAPI, Pero Vaz, parte da Liberdade, Largo do Tanque, Alto do Pará, parte de Santa Mônica, Largo do Retiro, San Martin, Baixa do Santo Antônio, parte da Barros Reis, Jardim Brasília, Engomadeira, Arraial do Retiro, Cabula, Pernambués, Narandiba, Saboeiro, Tancredo Neves, Novo Horizonte, Sussuarana Nova e Sussuarana Velha.

O serviço deve ser concluído até às 20 horas do mesmo dia, quando o abastecimento começará a ser retomado de forma gradativa. A interrupção não afetará os imóveis que contam com reservas adequada para satisfazer as necessidades diárias de consumo de seus moradores.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 15h10m


O Brasil passou, nesta sexta-feira (31), a medir a temperatura de passageiros que desembarcam no Brasil e que estiveram, nos 21 dias anteriores, na Libéria, Guiné e em Serra Leoa, como medida adicional de controle contra o vírus Ebola.

Ao mesmo tempo, esses passageiros receberão informações sobre os sintomas da doença e a orientação para procurar um serviço de saúde imediatamente no caso do aparecimento deles. Essa ação teve início às 5h desta sexta-feira no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, que recebeu 78,4% dos passageiros vindos desses três países em 2014.

Apenas 529 pessoas vindas desses países desembarcaram no Brasil este ano. Como comparação, cerca de 40 mil pessoas desembarcam, por dia, em Guarulhos. Um cartaz de aviso vai orientar esses passageiros a se identificarem ao oficial da imigração no momento do controle dos passaportes. A busca dessa informação também será feita pela pessoa que avalia o passaporte.

A temperatura será medida "de forma não invasiva", por meio de uma pistola. Ainda será feita uma entrevista e entregue um material com informações sobre o atendimento gratuito na rede pública de saúde - e, nesse material, estará escrita a data limite de incubação da doença, o que será relevante caso a pessoa procure o sistema de saúde no futuro.

A pessoa será orientada a buscar o serviço de saúde caso apresente algum dos sintomas do ebola até o final do período de incubação, de até 21 dias. Apenas após esse procedimento, o passaporte da pessoa será devolvido, junto com a permissão de entrada no território nacional.

O Ministério da Saúde afirma que não vai restringir viagens, apenas incluir o monitoramento e a distribuição de informações na chegada aos aeroportos. A nova medida deverá ser implementada até o final de novembro nos aeroportos que recebem passageiros dos países afetados – além de Guarulhos, Galeão, Viracopos e os aeroportos de Brasília, Fortaleza e Salvador. Não há voo direto para o Brasil de nenhum dos três países afetados pela doença. As informações são do Valor.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 14h53m


O dólar comercial e o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira operavam em alta de mais de 2% nesta sexta-feira (31). Por volta das 15h15 (Brasília), a moeda tinha alta de 2,08%, a R$ 2,458 na venda. Enquanto isso, a Bolsa subia 2,07%, a 53.421,31 pontos.

A ação da operadora de telefonia TIM (TIMP3) chegou a subir mais de 13% após a notícia de que seria comprada pelas suas maiores rivais brasileiras: Vivo, Claro e Oi. Por volta das 15h45, o papel da TIM avançava 12,84%, a R$ 13,18. A ação preferencial da Oi (OIBR4), que dá prioridade na distribuição de dividendos, disparava 16,52%, a R$ 1,34, depois de ter subido 20% pela manhã.

A cotação fechou a R$ 2,4436 para compra e R$ 2,4442 para venda. Pela manhã, o Banco Central deu continuidade aos leilões diários de dólar, vendendo todos os contratos oferecidos. As informações são da Reuters.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 14h43m


O país não conseguiu economizar dinheiro para pagar os juros da dívida pública em setembro, de acordo com informações do Banco Central divulgadas nesta sexta-feira (31). As contas do setor público apresentaram resultado negativo total de R$ 25,491 bilhões no mês.

Assim, pela primeira vez desde 2002, o resultado acumulado no ano, entre janeiro e setembro, ficou negativo, em R$ 15,286 bilhões. Segundo o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, o resultado de setembro foi crucial para que a instituição tomasse a decisão de diminuir a meta de superavit primário este ano.

De acordo com a agência de notícias Reuters, ele afirmou que o Tesouro vai encaminhar um decreto para alterar a Lei de Diretrizes Orçamentárias e a meta de superavit primário de 2014, mas não informou qual seria a nova meta.

Atualmente, a intenção do governo é de economizar 1,9% do PIB (Produto Interno Bruto) para pagar juros da dívida, ou R$ 99 bilhões. Esse resultado se refere a todo o setor público brasileiro (que inclui governo federal, empresas estatais, Estados e municípios). A economia para pagar os juros é conhecida como superavit primário. Como o país não economizou, foi registrado deficit primário.

A principal influência negativa para o resultado total veio do governo central (composto por Tesouro Nacional, BC e Previdência), que teve deficit de R$ 20,4 bilhões. Este dado foi divulgado mais cedo pelo Tesouro Nacional. Ainda segundo o BC, a dívida pública está em 39,5% do PIB (Produto Interno Bruto) em setembro. As informações são do uol.
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 14h13m


A TIM afirmou nesta sexta-feira (31) que seus diretores e sua controladora, Telecom Italia, não estão participando de qualquer discussão para a venda da operadora, diante de rumores publicados na imprensa de que rivais fecharam acordo para fazer uma oferta.

"A companhia informa que ambos os diretores e a Telecom Italia não têm qualquer conhecimento e não estão tomando parte em qualquer discussão que visa uma possível venda da companhia", disse a segunda maior operadora celular do Brasil em comunicado.

As ações da TIM tinham forte alta nesta sexta-feira, disparando mais de 12% às 13h09, enquanto o Ibovespa tinha ganho de 2,03%.

Mais cedo, o jornal Folha de S.Paulo publicou que os grupos de telecomunicações Claro, Vivo e Oi fecharam acordo para apresentarem uma proposta de compra da TIM. (G1)

 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 13h48m


O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, negou nesta sexta-feira, 31, que a divulgação do resultado fiscal e a revisão da meta tenham relação com o calendário eleitoral. "Nós temos um modelo de trabalho que faz com que de dois em dois meses façamos uma programação. Então as datas desta sistemática não atendem a nenhum calendário eleitoral, elas estão previstas na LDO", disse.

Questionado sobre o fato de a revisão da meta ter sido anunciada apenas depois das eleições, Augustin disse que o número de setembro - divulgado hoje - foi crucial para a decisão. As contas do governo central registraram um déficit de R$ 20,399 bilhões em setembro, o que levou o resultado acumulado no ano a passar de um superávit para um déficit primário de R$ 15,705 bilhões. É a primeira vez que isso ocorre desde 1997, quando teve início da série histórica do Tesouro Nacional.

Augustin adiantou que outubro deve ter um primário positivo. "Até o decreto, teremos alguma noção da receita de outubro, que deve ter primário positivo inclusive, mas não vai mudar a força do resultado de setembro", disse, acrescentando que a data de 22 de novembro é o prazo máximo para a divulgação da nova meta fiscal. Questionado sobre se a forte deterioração das contas públicas tem relação com as eleições, Augustin negou. "Não há vinculação entre eventos que são de médio prazo e uma eleição", disse.

Augustin disse que conversa muito com representantes das agências de rating e que eles olham para dados do crescimento. "Se você tem crescimento menor, receita menor, e se você tomasse a decisão de diminuir investimento, isso teria efeito de médio e longo prazo muito negativo", argumentou.

O secretário falou que as despesas discricionárias estão "exatamente no valor do decreto". "No custeio, a parte que cresce é educação, que é um objetivo do governo. Para nós, o custeio de educação é semelhante a investimento", disse. (ESP)

 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 13h21m


A companhia aérea Avianca anunciou nesta quinta-feira, 30, um voo diário de Salvador para o aeroporto de Congonhas, em São Paulo. A previsão é  que o voo comece a operar até 30 de novembro. Os bilhetes ainda não estão à venda e os valores não foram divulgados, informa o A Tarde.

Segundo o vice-presidente comercial, de marketing e cargas da Avianca, Tarcísio Gargioni, o horário do voo favorece o cliente de perfil corporativo. O voo sai de Salvador às 6 horas da manhã e chega em Congonhas às 8h20.  Com a adição, a empresa também disponibilizará mais um horário às 21h30 de São Paulo para Salvador.

"O cliente corporativo de Salvador  e alguém que queira vir a São Paulo para fazer uma consulta médica ou almoço de negócios sai de manhã e tem a oportunidade de voltar à noite. Ele ficará o dia inteiro em São Paulo para o que pretende fazer", afirma

Até o momento, a companhia possuía voos diretos apenas aos sábados e aos domingos para Congonhas. Para o aeroporto de Guarulhos,  também em São Paulo, a Avianca tem seis voos por dia. Para outros destinos, o número de voos partindo de Salvador chega a 20.

O novo voo de Salvador faz parte de 17 novos pousos e decolagens diários que a empresa realizará em Congonhas, também  para o Rio de Janeiro e Brasília. "Congonhas é a área sul de São Paulo e tem um mercado corporativo muito forte. A população da região sul de São Paulo tem dificuldades de ir  para  Guarulhos. Os novos voos vão beneficiar os paulistanos que vêm para Salvador e a população de Salvador que vai para São Paulo", afirma.

 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 12h52m


A expectativa de que a energia gerada por termelétricas abastecidas com biogás e resíduos sólidos urbanos (RSU) não receberia oferta no Leilão de Energia de Reserva (LER) 2014 se confirmou. Em poucos minutos, o sistema eletrônico da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) confirmou a inexistência de oferta para os projetos atendidos por biomassa.

Foram cadastrados inicialmente oito projetos com este perfil, com capacidade conjunta de 151 MW. Os empreendimentos estão localizados nos Estados do Amapá, de Goiás, da Paraíba, do Paraná, Rio de Janeiro (três) e de São Paulo.

Na quinta-feira, 30, o Broadcast havia informado que especialistas esperavam que não houvesse oferta para as térmicas. O entrave, de acordo com a sócia-diretora da consultoria Thymos Energia, Thaís Prandini, era o preço-teto de R$ 169/MWh. (ESP)

 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 12h38m


O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, avaliou nesta sexta-feira, 31, que o resultado primário desse ano reflete o crescimento econômico bem abaixo do esperado originalmente, por causa da expansão internacional menor do que a prevista no início do ano e aos choques de oferta no Brasil que levou à uma política econômica contracionista que afetou a atividade econômica.

Ele destacou que também houve crescimento da receita bem abaixo do estimado pelo governo. Segundo ele, a frustração foi de R$ 40 bilhões. Em relação ao primeiro decreto de programação orçamentária de fevereiro, segundo Augustin, houve uma arrecadação menor em 35 bilhões e uma renúncia fiscal com a desoneração da folha maior em R$ 5 bilhões.

Embora positivo, o secretário destacou o aumento da despesa com investimento. "Foi forte e subiu 36% este ano", disse. Agustin disse que até setembro os investimentos da administração direta subiram 1,56% do PIB. "É um porcentual bem significativo. Mostra uma tendência positiva para o investimento". Augustin disse que as despesas com abono salarial também estão subindo e que o governo está analisando esse item. (ESP)

 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 12h12m


A TAM e a LAN terão uma única marca, descartando, assim, a manutenção das duas bandeiras, como é atualmente. A nova marca, que pode ser tanto a junção dos nomes das empresas chilena e brasileira quanto um nome completamente diferente, deverá ser anunciada ainda este ano, de acordo com a assessoria de imprensa da TAM. A marca está sendo elaborada com a consultoria Interbrand.

Após o anúncio do novo nome, a previsão é de que a integração, que inclui pintura de aeronaves, novos uniformes e unificação de sistemas de reserva, seja concluída em um ano e meio. Assim, o passageiro terá a sensação de estar viajando com a mesma companhia.

A união das duas aéreas foi concluída em junho de 2012, com a criação da Latam, resultando na maior companhia aérea da América Latina. (G1)

 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 11h50m
 

 
Entre os economistas, a inflação é simbolizada por um dragão. Pois bem, o governo, preocupado com o bicho, resolveu adiantar, na última quarta-feira, um remédio amargo que estava previsto para a oscilante economia brasileira a partir de janeiro do ano que vem: aumentou em 0,25% a taxa básica de juros (Selic) e assustou o Papai Noel, símbolo do Natal. Quem espera para o final de ano carros ou eletrodomésticos caros, que precisam de financiamentos, poderá ter uma surpresa natalina desagradável.
 
A alta da Selic, que passou de 11% ao ano para 11,25%, tem efeito direto em operações de crédito – como financiamentos, taxas de juros do cheque especial, rotativo do cartão de crédito e o crédito pessoal, entre outras. Além disso, a decisão econômica serve para enviar um recado direto para o consumidor, de que dias difíceis estão por vir, explica o professor de economia da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM) Pedro Raffy Vartanian.
 
Para evitar que a inflação deteriore a renda da população, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) decidiu que era hora de desestimular o consumo. “A elevação da taxa Selic tem um impacto imediato no crédito, mas, principalmente, implica maior rigor das instituições financeiras na liberação das operações”, explica.
 
Segundo ele, a perspectiva é que os juros altos desestimulem a produção, o que pode gerar desemprego e, consequentemente, um aumento no número de “calotes” dos tomadores de crédito. “Os bancos compensam o aumento no risco das operações elevando as taxas de juros”, explica.
 
Pedro Vartanian acredita ainda que os principais efeitos percebidos no consumo do final de ano irão acontecer na compra dos chamados bens duráveis, como automóveis e eletrodomésticos. 



 
.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 11h43m
 
 
O resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2013 por escola deverá estar disponível a partir do dia 27 de novembro na página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). 
 
A partir desta data, as escolas que discordarem poderão interpor recurso. O resultado final será divulgado no dia 22 de dezembro. As previsões estão em portaria divulgada hoje (31) no Diário Oficial da União. Serão disponibilizadas as médias das proficiências dos alunos participantes, por área do conhecimento e redação, além da porcentagem de estudantes em cada faixa de proficiência. Este ano, o Inep vai divulgar ainda indicadores contextuais a serem considerados na análise do resultado. 

Em caso de discordância, os dirigentes das escolas poderão interpor recurso no Inep em até dez dias após a data da divulgação preliminar. O Inep vai analisar e responder os recursos no prazo de 15 dias.

Os resultados serão calculados e divulgados para as escolas que tenham pelo menos dez alunos concluintes do ensino do médio regular. Eles devem representar pelo menos 50% dos estudantes na etapa de ensino na escola. 


 
.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 11h27m
 

 
O consumo de energia elétrica segue o ritmo de redução. Isso significa que, nos últimos 12 meses compreendidos entre outubro de 2013 e setembro de 2014, houve aumento de 2,9% no consumo. O destaque do indicador vai para o setor de comércio, que contabilizou aumento de 7,3% no gaste energético. O único segmento que não segue o fluxo é a indústria, que apresentou retração no consumo de 1,7%. O país consumiu 458.459 Gigawatts/hora (Gwh), em 2013, e 471.751 GWh em 2014, um aumento de 13.292 GWh. O maior crescimento neste período coube à Região Norte, com 8,7%. 
 
O Nordeste foi a penúltima região em gasto de energia, com aumento de 1,9%. O último a apresentar este crescimento foi o Sudeste, cujo segmento industrial registrou uma queda expressiva no consumo energético, de 3,4%, em 12 meses. Isso levou a região, que passa por séria crise hídrica, a aumentar somente 1,3% do consumo energético nacional. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (30) na Resenha Mensal de Energia Elétrica, publicada pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE).(BN)


 
.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 11h11m
 
 
Depois das eleições, o governo federal só pensa em cortar gastos. Um pacote deve ser lançado em breve com um corte de R$ 40 bilhões e R$ 50 bilhões no Orçamento de 2015, o que inclui investimentos públicos. 
 
A medida vem após a decisão do Banco Central (BC) de elevar a taxa básica de juros do país de 11% para 11,25%. A ideia é divulgar as medidas antes de 12 de novembro quando o ministro da Fazenda, Guido Mantega, embarcará rumo a Austrália para participar da reunião de ministro do G-20.

Com os cortes, o governo pretende sinalizar um superavit primário do setor público de 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2015. Antes do pagamento de juros da dívida, a União teria que fazer uma economia de 2% do PIB, cuja previsão de crescimento está em menos de 1%, de acordo com o mercado financeiro. As informações são do Correio Braziliense.(Bn)


 
.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 10h56m


Influenciadas pelo fraco resultado do governo, as contas de todo o setor público, que incluem também os estados, municípios e empresas estatais, registraram em setembro o pior resultado de todos os meses, segundo números divulgados pelo Banco Central nesta sexta-feira (31).

No mês passado, as contas públicas registraram um déficit primário (receitas menos despesas, sem contar os juros) de R$ 25,5 bilhões. Até o momento, o pior resultado para todos os meses havia sido registrado em dezembro de 2008 (déficit de R$ 20,95 bilhões). A série histórica da autoridade monetária tem início em dezembro de 2001.

Mais cedo, também nesta sexta, o Tesouro Nacional divulgou que as contas do governo central ficaram fortemente no vermelho. Houve déficit primário (despesas maiores que receitas, sem a inclusão de juros) de R$ 20,39 bilhões no mês passado – o pior resultado para todos os meses.

Já nos nove primeiros meses deste ano, as contas do setor público registraram um déficit primário – receitas ficaram abaixo das despesas, mesmo sem contar juros da dívida – de R$ 15,28 bilhões, ainda segundo números divulgados pelo BC.

Foi a primeira vez, desde 2002, que as contas do setor público registraram um déficit nos nove primeiros meses de um ano. Até o momento, o pior resultado havia ocorrido em 2009, com um superávit primário de R$ 38,57 bilhões. Naquele ano, o governo baixou o superávit primário para combater os efeitos da crise financeira internacional na economia brasileira. Em igual período do ano passado, o superávit totalizou R$ 44,96 bilhões.

A queda do superávit primário do setor público acontece em um momento de fraca atividade econômica – resultado do cenário internacional mais vagaroso, da baixa confiança do empresariado e das famílias, do aumento da inflação e da alta dos juros implementada pelo Banco Central. (G1)

 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 10h39m


A TIM Brasil, segunda maior empresa do mercado brasileiro, está prestes a ser repartida em três. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, as operadoras Vivo, Claro e Oi fecharam um acordo bilionário de compra da empresa. O valor é estimado em cerca de R$ 30 bilhões, fora um prêmio de 5% pago a todos os acionistas da TIM. A tendência é que a proposta seja aceita.

O que acontecerá com os clientes da operado ainda não foi definido. Ainda segundo a publicação, uma oferta aberta aos acionistas da Telecom Italia, dona da TIM Brasil, será feita em breve e decidida em assembleia. Tudo depende da venda da Portugal Telecom (PT), da Oi, em Portugal.

O negócio deverá ser fechado na próxima semana. Cinco empresas estariam interessadas - duas operadoras telefônicas e três fundos de investimento. O preço de venda da Portugal Telecom é estimado em R$ 22 bilhões, que a Oi utilizaria para bancar sua parte na oferta pela TIM. 

O presidente da Telecom Italia, Marco Patuano, negou a venda da TIM Brasil, mas afirmou que tudo depende do "valor do cheque". Caso a venda se concretize e a operadora seja repartida entre as outras três, a Anatel deverá intervir na divisão de clientes para as empresas.  

 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 10h28m


A Bovespa opera em alta nesta sexta-feira (31), em linha com praças acionárias no exterior, após o Banco Central do Japão surpreender o mercado ao ampliar o seu programa de estímulos monetários. A temporada de balanços doméstica também merece atenção, com números de empresas como BRF, Pão de Açúcar e Ambev, de acordo com a agência Reuters.

Às 10h43, o Ibovespa, principal indicador da bolsa paulista, subia 0,72%, a 52.716 pontos. Na quinta-feira (30), a Bovespa fechou em alta, após decisão do Copom que surpreendeu ao subir os juros a 11,25% ao ano e na expectativa em torno da nova equipe econômica que será anunciada pela presidente reeleita Dilma Rousseff. O Ibovespa, principal indicador da bolsa paulista, subiu 2,52%, a 52.336 pontos.

Segundo o G1, após iniciar o dia em queda, o dólar virou e passou a operar em alta. Por volta das 9h50, a moeda norte-americana subia 0,64%, a R$ 2,4234, na venda. O dólar opera em meio a expectativas de que a política econômica no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff caminhe em direção mais favorável aos olhos do mercado.

Nesta sexta, há o fechamento da Ptax de outubro, o que pode trazer volatilidade aos negócios. Operadores costumam brigar para influenciar a taxa, que serve de referência para diversos derivativos cambiais.

 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 10h06m


Em um ano marcado por eleições, o governo acelerou os gastos públicos, mas a arrecadação federal não registrou o mesmo crescimento. Com isso, as contas do governo registraram uma forte deterioração, algo sem precedentes na história, segundo números divulgados pela Secretaria do Tesouro Nacional nesta sexta-feira (31).

Em setembro, foi registrado um déficit primário (receitas menos despesas, sem contar os juros da dívida pública) de R$ 20,39 bilhões - o pior resultado não apenas para setembro, mas para todos os meses. Foi o sexto resultado negativo deste ano. Até o momento, o pior resultado mensal da série histórica do Tesouro Nacional, que tem início em 1997, havia ocorrido em dezembro de 2008 (-R$ 19,9 bilhões).

O mesmo aconteceu com o resultado acumulado deste ano. Na parcial dos nove primeiros meses deste ano, as contas do governo registraram um déficit primário de R$ 15,7 bilhões. Foi a primeira vez na história que aconteceu um resultado negativo na parcial até setembro. O pior resultado, até o momento, havia sido registrado em 1997 - quando houve um déficit de R$ 3,89 bilhões.

O resultado deste ano teria sido pior ainda se não fosse o ingresso de R$ 8,76 bilhões em recursos de parcelamentos em agosto e setembro deste ano, algo que não aconteceu em 2013. Sem estes recursos, o déficit primário teria atingido a marca de 24,46 bilhões de janeiro a setembro deste ano.

O resultado de setembro, e também na parcial do ano, praticamente sepultam o atingimento da meta de superávit primário estabelecida para todo este ano, que é de R$ 80,8 bilhões para o governo. Pelo conceito abaixo da linha (que é utilizado como parâmetro para as metas fiscais), o Tesouro informou o governo registrou déficit de R$ 18,9 bilhões nos nove primeiros meses deste ano.

Já no caso dos investimentos, os gastos somaram R$ 62,4 bilhões de janeiro a setembro deste ano, informou o Tesouro Nacional, valor que representa um aumento de 34,1% frente a igual período de 2013 (R$ 46,5 bilhões). No caso das despesas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que somaram R$ 47,2 bilhões nos nove primeiros meses de 2014, houve alta de 47,8% sobre igual período do ano passado (R$ 31,9 bilhões), informou a Secretaria do Tesouro Nacional. (G1)
 
 

.............................................................................................................................................................................................................................................
31/10 - 09h53m
 
 
Segundo as estatísticas de gênero apresentadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (31). Apesar de terem conseguido reverter as desigualdades com relação aos homens na educação, as mulheres ainda vão veem esse avanço refletido no mercado de trabalho. Mesmo mais instruídas, elas ainda têm salários menores que os dos homens e três em cada dez brasileiras sequer têm rendimento próprio.
 
Os dados apontam as diferenças entre homens e mulheres em aspectos como mercado de trabalho, educação, habitação e rendimento com base nos censos de 2000 e 2010. "Embora tenha havido uma redução na década de mulheres sem rendimento, elas ainda eram 30% em 2010, o que é um número elevado. Elas podem estar em famílias com rendimento, mas o fato de não terem rendimento próprio aumenta a dependência", explica Barbara Cobo, gerente de indicadores sociais do IBGE e coordenadora da pesquisa.
 
A proporção de mulheres de 16 anos ou mais sem rendimento está acima do observado para o total da população (25,1%) e para os homens nessa mesma faixa etária (19,4%). A região Norte é onde há mais mulheres nesta condição (37,7%). No oposto está o Sul, com 24,6% das mulheres sem rendimento próprio. 
 
Para as mulheres que têm rendimentos, o principal problema é a disparidade com relação ao que recebem os homens. Apesar de mais instruídas, elas ainda ganham menos que eles. Em 2010, havia mais mulheres entre os universitários de 18 a 24 anos (57,1%). Ainda segundo o IBGE, o nível educacional das mulheres é superior ao dos homens na faixa etária de 25 anos ou mais, e a maior diferença percentual por sexo está justamente no nível superior completo – com 12,5% das mulheres graduadas contra 9,9% dos homens.

 
.............................................................................................................................................................................................................................................


Rua Dr. José Peroba, 297, edf. Atlanta Empresarial, sala 1503 - Stiep - Salvador CEP: 41.770 - 235 - Tel: 3272 - 2960